Arquivo | março, 2012

Heleno

30 mar

Heleno de Freitas, uma das maiores lendas e maior ídolo do Botafogo antes de Garrincha, é o principal personagem do filme “Heleno”, de José Henrique Fonseca (mesmo diretor de “O homem do ano”).

Heleno de Freitas era o príncipe da era de ouro do Rio de Janeiro, os anos 40, quando a cidade era um cenário de sonho, cheio de glamour e promessas. Bonito, charmoso e refinado nos salões elegantes, era um gênio explosivo e apaixonado nos campos de futebol. Heleno tinha certeza de que seria o maior jogador brasileiro de todos os tempos. Mas a guerra, a sífilis e as desventuras de sua vida desviaram seu destino, numa jornada de glória e tragédia.
Inspirado no livro Nunca Houve um Homem como Heleno, do jornalista Marcos Eduardo Neves e seguindo a linha do filme francês “O Artista”, o filme é todo em preto e branco e possui a proposta não de falar sobre futebol, e sim sobre um personagem trágico. O longa estreou em 2011 no festival de Cinema de Toronto e de lá pra cá já arrecadou diversos prêmios e foi alvo de ótimas críticas.
Um prato cheio para os amantes de biografias de grandes ídolos brasileiros. Bom filme!
Diretor: José Henrique Fonseca
Elenco: Rodrigo Santoro, Alinne Moraes, Othon Bastos, Herson Capri, Angie Cepeda, Erom Cordeiro, Orã Figueiredo, Henrique Juliano, Duda Ribeiro
Duração: 116 min.
Gênero: Drama
Distribuidora: Downtown Filmes

COLUNA DE PESO: Metal na Net Gringa

26 mar
A cada dia, mais pessoas têm acesso à internet. Com ela, aos poucos, a população está entendo que não são mais dependentes de outros meios para lerem ou assistirem aquilo que querem.
Pelo site YouTube, por exemplo, temos a chance de ver videoclipes ou mesmo apenas escutar as músicas de nossas bandas favoritas, além de poder encontrar novos artistas.
É neste mundo de possibilidades chamado internet que, cada vez mais, alguns indivíduos percebem que estão diante da chance de não serem apenas telespectadores, mas também produzirem os próprios conteúdos.
Os internautas gringos já têm ciência disto há mais tempo. Não faltam exemplos de pessoas que pegaram uma filmadora ou câmera e fizeram vídeos a respeito de determinados assuntos. Dentre eles a música.
No caso do Metal, o exemplo mais notório é o do canal The Needled Drop, criado por Anthony Fantano. Nos vídeos produzidos por ele, o americano faz resenhas de álbuns dos mais variados gêneros musicais, incluindo as vertentes do Heavy Metal.
Fantano faz vídeos de uma forma caseira, mas devido ao grau de qualidade dos vídeos, seja pela qualidade da imagem somada ao talento do próprio, fazem com que o The Needled Drop se torne um ótimo exemplo do fato da internet estar se profissionalizando e crescendo.
Uma característica importante que deve ser salientada é que este webmaker não age como se estivesse fazendo algo para a TV. A forma em que Fantano apresenta é descontraída, divertida e carismática. Veja um exemplo:
O The Needled Drop começou em Janeiro de 2009 e deste então muitos outros seguiram o caminho e exemplo de Fantano e começaram a produzir os próprios vídeos contendo opiniões a respeito de bandas e discos. Ainda naquele ano nasceria o JumbleJunkie Music e, em 2010, o CoverKiller, veja:
Outras produções também surgiram, só que feitos de uma maneira diferente. Os jovens da Absent Productions criaram o web programa chamado A Moment of Metal e os veteranos canadenses Alan e Jimmy, o The Metal Voice. Ambos são bons programas e são apresentados em dupla. Assista:
Dos web programas criados até hoje, aquele que mais se assemelha ao formato televisivo é, sem dúvida, o Metal Injection. Contendo entrevistas e coberturas de eventos feitas com humor e descontração, mas sem perder o profissionalismo, fazem o Metal Injection mostrar que é possível criar conteúdo para internet e com muita qualidade. Acompanhe:

A internet é um mundo de possibilidades e os brasileiros estão começando a também desbravá-lo. Mas isso fica para o artigo de semana que vem…

Laços de Família

25 mar
 “Não te escrevi sobre o teu livro de contos por puro encabulamento de te dizer o que penso dele. Aqui vai: é a mais importante coleção de histórias publicadas neste país na era pós-machadiana.” Érico Veríssimo sobre Laços de Família

Laços de Família é uma coleção de treze contos de uma das escritoras brasileiras mais traduzidas no mundo, Clarice Lispector, autora também de A Paixão Segundo G.H. e A Hora da Estrela. Laços de Família ganhou o Prêmio Jabuti de Literatura em 1961, na categoria contos, crônicas e novelas.

Nos contos dessa coletânea os personagens são levados por uma morbidade das mais vívidas, no melhor estilo Clarice. Todos eles lidam com verdades pertubadoras, no meio da banalidade de seus cotidianos, até serem abalados por uma epifania durante as suas atividades mais triviais. Os homens e mulheres retratados nessa obra são unidos pelos laços familiares, sendo eles, em sua maioria, elos tanto de afeto quanto de aprisionamento.

Clarice cria situações em que uma revelação, que desconstrói e ameaça a realidade, denuncia uma existência que nem sempre se demonstra significativa, evidenciando uma apreensão filosófica da vida. A coleção trata de diversos temas, incluindo os comuns solidão, morte, incomunicabilidade e os abismos da existência através da rotina de personagens que são facilmente encontrados em um lugar comum, no dia-a-dia.

Clarice Lispector


Clarice fixa nesta obra uma camada específica da sensibilidade pequeno-burguesa figurada na tensão com as representações do poder inconscientemente internalizadas e tornadas institucionais. Como no texto de quem escreve por lampejos, e sem a imediatez de uma literatura de compromisso social direto, tudo isso ali está posto com a sutileza do artífice que afirma e nega, oferecendo ao leitor um traço de machadiana obliqüidade na forma de escolher e registrar os laços que acolhem e acossam seus personagens”, diz Lúcia Helena, pós-doutora em literatura comparada pela Brown University, sobre Laços de Família.

O livro é fascinante, bem além do padrão da Clarice em muitos dos seus livros mais famosos. Apesar disso, ela segue extremamente fiel ao seu estilo de sempre: destemida, feroz, sincera, com uma voz forte e sensível, o feminino em todos os detalhes, os cenários provocando os personagens, como se esses também fossem pessoas. Sonhador e imperdível.

Título: Laços de Família
Autora: Clarice Lispector
Editora: Rocco
Ano de lançamento: 1960
Número de páginas: 136

Jogos Vorazes

23 mar
Chega hoje aos cinemas brasileiros a adaptação do livro de mesmo nome da autora norte-americana Suzanne Collins, Jogos Vorazes.

O filme contará a história de um futuro distópico, não muito distante, em que a Capital, anteriormente conhecida como a América do Norte, é dividida em 12 distritos que precisam pagar tributos de um forma brutal, um casal de adolescentes é forçado a participar dos Jogos Vorazes, e precisará lutar até a morte, em transmissão ao vivo pela televisão. A trama é centrada em Katniss, adolescente de 16 anos que vai para o reality show no lugar de sua irmã Primrose, sorteada pelo distrito 12 para a 74ª edição.
Jogos Vorazes é o mais novo fenômeno da literatura jovem, ficando por mais de 130 semanas consecutivas na lista dos mais vendidos do The New York Times e é o primeiro da trilogia, que ainda conta com Catching Fire e Mockingjay.
Que os Jogos Vorazes comecem, então!

Elenco: Jennifer Lawrence, Liam Hemsworth, Elizabeth Banks, Josh Hutcherson, Woody Harrelson, Willow Shields, Stanley Tucci, Alexander Ludwig e Isabelle Fuhrman
Duração: 140 minutos
Distribuidora: Paris Filmes
Gênero: Ação, Drama, Suspense e Ficção Científica

Conexão Qatar #5: I don’t speak arabic!

22 mar
O dia já estava se escondendo, era hora de voltar à cidade. A maré da praia parecia querer me contar algo, o barulho das ondas me trazia energias jamais sentidas. Comecei a observar todo aquele cenário, aquele céu, aquelas águas. Há tempos não parava tudo ao meu redor, só para observar, notei minhas colegas sorrindo uma para outra e comecei a sorrir também. E por um instante agradeci por aquele momento. E no meio de toda essa reflexão escuto bem de longe um ruído, até que o som se aproxima e percebo alguém gritando comigo “ YALLAH JAPONESA, YALLAH” *. Minha mente volta ao mundo, bem mais leve, mais pura. E percebo que realmente, o dia já se foi, mas a noite no mundo árabe ainda me reservava muitas histórias.

Adoro escutar música observando a estrada. E no Qatar isto se tornava mais interessante. Sua estrutura é uma mistura de desenvolvimento com áreas totalmente desabitadas. Uma hora observava um enorme prédio, no outro segundo, só enxergava areia. Também sei que a mesma paisagem deserta que vi há alguns dias atrás , provavelmente , não estará mais lá daqui a poucos anos. Já que, quem é ligado no mundo sabe, esse país promete. Engraçado era notar que viajei para o extremo oeste do país, de ônibus, e demorei apenas 2H. Cara, duas horas é a média de tempo que eu faço para voltar da Avenida Paulista – São Paulo para a minha casa, em dias comuns. Sim, lá não presenciei nenhum congestionamento, não importando o horário. Juro, que às vezes, essa falta de caos me despertava até certo “medo”.

Tatuagem de henna e hubs ( Por Débora Komukai)

Professora Qatari em praia local ( Por Débora Komukai)

Tipica tenda de praia do país ( Por Débora Komukai)

Meus pés nas águas do mar de Alanah-Anah
O ônibus estacionou , vejo um estádio enorme , com o seguinte letreiro: “ AL GHARAFA SPORTS CLUB” . Este time é a maior equipe de futebol do país. Atualmente conta com a liderança do técnico brasileiro, carioca da gema, Leonardo Vitorino. Quando ele veio nos cumprimentar a felicidade me dominou, não imaginava o quanto é gostoso estar em outro país e escutar alguém desconhecido falar o seu idioma , a sua gíria.Conhecemos os jogadores – dentre eles havia 3 brasileiros. Foram todos tão atenciosos que mesmo com o cansaço pós treino, nos chamaram para jogar com eles .Lógico, que não perdi esta oportunidade.

E do nada lá estava eu, um nada, no meio daquele campo enorme, no centro daqueles homens gigantes. Não há dúvidas, o futebol é algo que uni as pessoas não importando o lugar que esteja. É o raro momento no qual não importa se você fala o mesmo idioma ou não, as regras são claras e um único sinal expressa tudo. A noite estava muito fria. Após correr alguns minutos comecei a sentir aquele vento me cortando, mas nada era motivo para se sentar no banco. Vi cenas raras , quando alguém fazia gol eram 3 gritos da mesma tonalidade , expressando palavras diferentes , mas com o mesmo significado. Avistei um homem com vestes longas (ثوب) e sandália jogando ao meu lado. Disputei a bola contra um jogador profissional – cena que jamais imaginaria viver e confesso que eu perdi a bola. Mas, consegui deixar a minha marquinha naquele gramado verde Brasil , com um golzinho no canto da rede , com direito a comemoração.

Jogador do Al Gharafa , boleragem.

“Walter”, representando o Brasil ( Por Débora Komukai)
Na volta estava exausta, até que escuto uma história cômica, que me faz despertar. Um colega que viajou comigo conseguiu cometer alguns erros de inglês, maiores que o meu. O primeiro foi o seguinte, o sujeito queria um copo da água e me soltou algo assim “I need WALTER” . (Imaginem só a cara da garçonete), porém, não feliz com esta situação o mesmo individuo tenta conversar com uma atendente do hotel em inglês, a mulher simplesmente respondeu: “I don’t speak arabic”… Que fase!

FanSérie – Touch

22 mar

Estreando hoje na FOX, a minha indicação da semana é a série Touch. Tim Kring está de volta com uma sacada original e instigante, aqueles que acompanharam a extinta Heroes sabem bem do que estou falando.

Touch fala sobre a forma particular que um garoto de 11 anos com autismo percebe a relação das coisas a seu redor. Seu pai interpretado por Kiefer Sutherland, se mostra uma pessoa frustrada, por tentar de todas as maneiras estabelecer algum tipo de vínculo com o filho.

A trama bem podia ser um clichê, já que tem como pano de fundo o atentado às torres gêmeas em 11/09 e a trágica forma como o menino e seu pai perderam a mãe/esposa. Os primeiros minutos da série são um tanto confusos, já que mostram histórias diferentes que não aparentam ter relação entre si.

Engano de principiante, já que os fatos passam a se ligar de uma forma tão emocionante e intensa, que a gente sequer consegue desgrudar os olhos da tela. Após uma visita a Danny Glover para uma “consulta”, o pai inicia uma busca frenética para compreender tudo que seu pequeno quer dizer e percebe nele um talento ímpar de adivinhar o futuro.

Como isso é possível? Através de cálculos matemáticos que conferem ao mundo uma perfeição, quase imperceptível aos mais leigos.

Aguardo ansiosa os demais episódios, já que Kiefer (saudoso Jack Bauer) volta ao trabalho de maneira majestosa.
Um aperitivo para os mais ansiosos como eu…

Créditos do vídeo: FOX Broadcasting

Grutas + Luxo = Hotel Sextantio Le Grotte della Civita

22 mar

Cavernas nunca foram sinal de luxo e conforto não é verdade?

Mas, parece que para o Hotel Italiano Sextantio Le Grotte della Civita, isso não é problema. Ocupando um conjunto de grutas pre-históricas, o hotel localizado em Sassi de Matera, possui apenas 18 suítes, bem acomodadas dentro das grutas, mantendo as características originais das mesmas. 
As peculiaridades do local são contrastadas pelo luxo das suítes. Todas elas são equipadas com hidromassagens, camas king size, além, claro, de acesso à internet. Seu restaurante é especializado na cozinha da região de Basilicata, sendo considerado o melhor da região. E o café da manhã é servido num local bem diferente, dentro de uma antiga igreja do vilarejo.
Por fim, vale lembrar que as diárias variam de 100 a 700 euros.