A casa dos Super Heróis

2 out
E aí leitores da Friday! Calma, não sou fanático ao ponto de fazer uma matéria falando sobre a mansão do Bruce Wayne ou do Tony Stark e suas particularidades, ou sobre a decoração do apartamento da Mulher Maravilha tal qual uma revista CARAS… Na verdade eu até sou fanático ao ponto de ter esta capacidade, mas tem mulheres lendo, amigos, e prefiro não me expor taaaaaanto assim, afinal de contas não quero queimar meu filme. 

Brincadeiras à parte, a coluna de hoje será mais enxuta e trará um assunto até meio batido, mas que sempre pode vir a calhar para alguém, mesmo que dentro da simplicidade do assunto não deixa de ser uma curiosidade cultural. 

Você já teve ou ouviu a seguinte dúvida de algum amigo:
“Poxa, por que não tem o Homem Aranha na Liga da Justiça?” Ou viu o Homem Aranha junto com o Quarteto Fantástico ou com o Wolverine e se perguntou: “o quê está acontecendo?”

Humildemente então, estarei lhes apresentando a Marvel e a DC Comics, as referidas casas dos super-heróis do título da matéria. 

Então vamos lá, rápido e direto (gente, perdoem, é uma síntese simplista que não faz juz aos fatos, mas dá uma noção): 

Marvel Comics – apelidada carinhosamente de “a casa das idéias”
Chamava Timely Comics, surgiu na década de 30, seus primeiros heróis foram o Capitão América, o Namor e o Tocha Humana (que é parecido mas não é o do filme, na verdade apenas inspirou o personagem de mesmo nome que faria parte do Quarteto Fantástico). Estes três heróis garantiram uma boa estreia, mas naquela época a concorrência era bem farta e a editora não foi tão acima da média, as coisas começaram a mudar na década de 60 quando os talentos de Jack Kirby e Stan Lee se uniram para criar o Quarteto Fantástico e também quando Stan e Steve Ditko na mesma época criariam o grande ícone da empresa, o espetacular Homem Aranha. Depois, viriam Hulk, Demolidor, Homem de Ferro, Thor e os demais Vingadores. Ainda teríamos os X-Men e muitos mais, devido a empatia destes personagens a editora se tornaria um grande sucesso, ditando tendências com uma linguagem que aproximava muito o leitor do personagem, uma fórmula que “inspiraria” a concorrência. 

Nenhum dono metia muito o bedelho na Marvel, então os artistas tomavam conta do pedaço, isto aconteceria até a década de 80 quando um grande empresário agregaria uma grande parcela de ações da empresa e se tornaria marjoritário, porém, metido em outros investimentos, pegou seu lucro e simplesmente desistiu do ramo, deixando a editora mais popular da época quase quebrada e nas mãos gananciosas de seus editores, que tinham ações e dinheiro investidos na empresa. Quis o destino que os próprios heróis reerguessem a empresa, e foi através Hollywood, com filmes como Blade, Homem Aranha e X-Men, que a Marvel novamente voltou a dar imensos lucros, e por fim seria adquirida (em 2009) pela Disney, que até o momento, só interferiu positivamente, como por exemplo investindo na distribuição do recente filme dos Vingadores. 

A única coisa a lamentar é que por ceder os direitos de seus personagens a estúdios diferentes, no caso a 20° Century FOX, a New Line Cinema e Columbia Pictures, não poderemos ver os personagens juntos, como em Vingadores. O Homem-Aranha, o Demolidor, o Quarteto-Fantástico, o Motoqueiro Fantasma e os X-men não conhecerão mais nenhum outro herói dentro se seus respectivos universos cinematográficos, algo que diminui um pouco as possibilidades criativas, e joga uma água no chope de alguns fãs.

DC Comics
A antiga National Allied Publications surgiu de uma fusão de algumas editoras menores que se uniram para ter um maior alcance com as revistas do Batman, Superman, Flash, Mulher Maravilha, Lanterna Verde e Arqueiro Verde, dentre outros. Neste período a editora se consolidou, se tornou bem profissional e mesmo sem os criadores originais envolvidos, os personagens se mantinham bem, mesmo quando o sucesso avassalador da Marvel surgiu nos anos 60, na verdade este fator só elevou a qualidade das histórias, e tamanho sucesso no mercado despertou o interesse do grupo Warner, que em 1969 a comprou. A DC é mais simples de se entender, para saber que personagem pertence a DC, basta lembrar da Liga da Justiça, os integrantes do grupo são basicamente o bem mais valioso da empresa. 

No cinema, o filme Superman (1978) foi um grande sucesso, assim com sua sequência, abrindo caminho para o filme do Batman (1989), também um grande sucesso. Mas mesmo com uma nova série de filmes do Batman tendo feito muito sucesso recentemente, os filmes mais recentes do Superman e o do Lanterna Verde, não foram tão bem assim e atualmente a DC perde neste seguimento para a Marvel, mas depois do sucesso do terceiro filme do Batman, um novo filme do Superman será lançado, assim como aparentemente teremos um Lanterna Verde 2, se bem sucedidos, podemos acreditar que os estúdios Warner Bros buscarão mais alternativas, para quem sabe fatalmente se dar início a produção de um filme dedicado a Liga da Justiça, principalmente para rivalizar com o sucesso de Vingadores da Marvel. 


Ou seja, uma rivalidade que surgiu nas revistinhas a 70 anos, já pulou das páginas dos quadrinhos faz tempo.

Até a próxima semana.


Por: Anselmo Rodrigues
De: São Paulo – SP
Email: anselmo@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Anúncios

Uma resposta to “A casa dos Super Heróis”

  1. Andreia Steller 04/10/2012 às 12:39 #

    Estou torcendo para que a DC consiga unir seus herois e fazer um filme da Liga da Justiça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: