Arquivo | Apocalipse RSS feed for this section

5 livros para ler após sobreviver ao fim do mundo

27 dez
Enquanto algumas famílias compravam casas subterrâneas por US$ 80 mil que resistiriam até a bombas nucleares, nós estávamos aqui esperando o temido Plantão da Globo nos avisar de alguma catástrofe em qualquer parte do planeta no dia 21 de dezembro de 2012. Algum terremoto, o chão se abrindo, ondas gigantescas, alienígenas fazendo uma visita a nós, nevasca em São Paulo ou o Latino voltar ao Youtube.


Bem… Se você está lendo esse post, é porque não esteve (ainda) com o pé na cova!

Logo, não foi desta vez que tudo acabou. E como vitoriosos a mais uma profecia do término dos tempos, aqui vai uma lista de cinco livros inspiradores para ler após “sobreviver” ao fim do mundo.

 

 1) “Eu Sou a Lenda”, Richard Matheson (1954)
Acredito que o primeiro pensamento a rodear nossas mentes ao lermos esse título é… “Will Smith”. Isso porque o cinema já lançou três diferentes adaptações da obra, tamanho foi o sucesso da mesma!
Nova York é o plano de fundo dessa ficção científica que narra a história do único sobrevivente a uma epidemia viral. Todos os humanos afetados pelo vírus se transformam em seres semelhantes a vampiros (vampiros cruéis, longe de se espelharem em Crepúsculo); e, assim, o homem traça a luta pela própria vida para, sozinho, salvar sua espécie.
Confira um trechinho aí de “Eu Sou a Lenda”, que neste ano foi consagrado como O Melhor Romance Sobre Vampiros do Século pela Horror Writers Association:
 “Ele se deitou na cama e respirou a escuridão, torcendo para conseguir dormir. Mas o silêncio não ajudou muito. Ele ainda podia vê-los lá fora, os homens de rosto branco rondando sua casa, incessantemente procurando um jeito de entrar e chegar até ele. Alguns deles, provavelmente, agachados como cães, os olhos vidrados na casa, os dentes se mexendo devagar; indo e vindo, indo e vindo.”
2) “O Último Homem”, Mary Shelley (1826)
Escrito no século XIX, o livro avança no futuro e retrata o ano de 2100 aos olhos da mesma autora de “Frankenstein”.  Filho de uma nobre família que se afundou na pobreza, a trama conta a trajetória de Lionel Verney, o único a sobreviver a uma maldição que, aos poucos, destruiu a humanidade por meio de uma terrível guerra.
A tensão do livro já se inicia na introdução, feita a partir do relato de um autor desconhecido. Este diz respeito a um manuscrito encontrado em uma caverna, que seria escrito por uma sacerdotisa de Apolo, prevendo acontecimentos que destruirão o mundo em dois séculos posteriores (encaixe uma risada maléfica aqui).


3) “Ensaio Sobre a Cegueira”, José Saramago (1995)

Ok, neste livro o mundo não acaba. Famosa obra do querido autor português vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, a narrativa se desenrola quando um motorista parado no sinal vermelho do semáforo percebe-se cego. Isso porque o protagonista fora atingido por uma epidemia de cegueira que transformou a vida de todos em um caos.
Olha aí um pedacinho dessa descoberta que envolve todo o livro:
“Num movimento rápido, o que estava à vista desapareceu atrás dos punhos fechados do homem. (…) Estou cego, estou cego, repetia com desespero enquanto o ajudavam a sair do carro, e as lágrimas, rompendo, tomaram mais brilhantes os olhos que ele dizia estarem mortos.”
4) “O Pequeno Príncipe”, Saint-Exupéry (2006, 48ª edição)
Vamos fugir das epidemias e catástrofes agora. “O Pequeno Príncipe” é um clássico que já ultrapassa a marca de 6 milhões de exemplares vendidos.
O livro conta a história de um príncipe que surgiu do asteróide B612 e é encontrado pelo alter ego do autor da obra. O escritor conta ao pequeno sobre a pane de seu avião que o fez cair em pleno deserto do Saara e, a partir daí, o príncipe pede ao escritor que faça desenhos para ele a fim de demonstrar seu planeta.
Assim, a obra nos faz mergulhar em um mundo imaginário em que refletimos questões da vida real.
Recortei aqui uma famosa frase do livro:
“Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.”
5) “Jogos Vorazes”, Suzanne Collins (2010)
Este é o primeiro livro de uma trilogia que fez tanto sucesso que até estourou em bilheterias pelo mundo com sua versão cinematográfica.
A trama acontece em Panem, uma nação formada por cerca de 12 distritos e comandada pela Capital, sede do governo. Diante ao país carente, a Capital demonstra seu poder com uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão: os chamados Jogos Vorazes. Um casal de adolescentes de cada distrito é selecionado e obrigado a lutar até a morte nestes jogos. O vencedor terá fama e fortuna. Todos os demais, morrem.
Para evitar que sua irmã mais nova seja vítima do cruel programa, a jovem Katniss se oferece em seu lugar. Para ganhar a luta, é preciso mais do que habilidade. O que cada jogador está disposto a fazer para ser o vitorioso? É em busca da resposta que a incrível narrativa se desenrola.

Por: Tatiane Gonsales
De: São Paulo – SP
Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Anúncios

Apocalipse: Um banho zumbi!

8 jul

Governo dos EUA nega a existência de Zumbis e Sereias.
  Foi com essa matéria (ignore a parte das sereias, ninguém gosta de sereias) publicada pela revista Exame no dia 03/07/12 – última terça- feira- que tive a certeza que sou realmente predestinado a algo grandioso nesse mundo já em estado inicial de calamidade apocalíptica. Ser um caçador de zumbis.

Olá você, cidadão de bem, que já temeu ou ansiou pelo derradeiro dia da espécie humana causado por hordas de zumbis sedentos por amor e caos, extinguindo todos os orkuteiros, mlk piranhas, compartilhadores de fotos de cachorros atropelados, filósofos da ATEA, funkeiros sem fone, titias que mandam ppt no email, gif de natal, curtidores do próprio status, fanáticos religiosos, caras que colocam foto de carro do Need For Speed no perfil, neo-cults hipsters, e toda essa galera chata, ao que tudo indica, esse dia está chegando.
                                                             (Perguntas frequentes)
Mas o governo não negou a existência de zumbis?
Na verdade, eles alegaram a falta de provas, não NEGARAM com todas as letras.
Hey cara, você sabia que Angelina Jolie, Keanu Reeves, John Lennon, Stephen Hawking são/foram ateus?
ATÉ AQUI?????????
N0$$@, Vsê eH Mt0 Pr&C0ns$&it0
Pfvr $& R&TiR&.
Hey, eu gosto de sereias.
Isso nem é uma pergunta frequente.
Pois bem, apesar de tendencioso, porque eu amo zumbi, não é sem fundamento que acredito no mórbido apocalipse, tampouco sem fundamento o governo norte americano (o canadense incluso) está dando atenção a esse fenômeno.
Existem uns rituais mega loucos no Haiti que se acredita trazer de volta o defunto, sem contar a história do moço que tomou uma poção que o fez morrer só de mentirinha, e pouco tempo depois ele foi escravizado em plantações haitianas sob constante efeito de drogas.
Mas, ainda assim, o mais louco de tudo isso é a súbita avalanche de ataques “canibais” que ocorreu/ocorre/ocorrerá no mundo, isto é, na China um motorista “bêbado” MASTIGA o rosto de uma senhora no meio da rua, no EUA um moço faz um pequeno piquenique com a face do vizinho, um louco ameaça devorar dois policiais, e um outro qualquer, com os dentes, fere o rosto de um coleguinha. Ainda nas terras do Tio Sam, um homem nu andando serelepe pela calçada enche um mendigo de chutes e depois almoça sua face, assim, super normal.
O quê você fez hoje querido?
:- Fui trabalhar, peguei aquele trânsito, tomei um sundae no Burger King, mudei a cor do meu Orkut, andei pelado pela calçada e comi o rosto de um mendigo, meu bem. J

                                                            (Perguntas frequentes)

E por que as pessoas fazem isso?
A polícia suspeita que tais atitudes “antropofágicas” são efeitos colaterais de uma droga chamada “sais de banho”.
WTF é sais de banho?
A mistura de duas substâncias o MDPV (inseticida agrícola?!?!?!?!) e a mefedrona, conhecida no Brasil como miau-miau, que por sinal não é ilícito.
Qual a brisa desse “bagui”?
Segundo um PHD em farmácia, se você (não você de verdade, um hipotético você) misturar todos os piores efeitos da cocaína, do LSD, do PCP e do esctasy terá um efeito comparável ao dos sais de banho.
E os efeitos?
Bom, além de comer rostos, o usuário se sente queimando, o literal “fogo no rabo”, apresenta sintomas de desidratação, e a taxa metabólica aumenta em 30%.

Onde posso comprar?
Breve nas Lojas Friday.
Posso comer o meu amigo usando sais de banho?
HAHAHA – você é o cara das sereias, né?

CONCLUSÃO: Zumbis não são produzidos em série ainda, nem por vírus, mas uma droga zumbi é um jeito interessante de começar o fim do mundo.
Curiosidad…aaaaaaaargh X.X
Existe um fungo capaz de controlar formigas;
O governo canadense divulgou uma espécie de manual de sobrevivência zumbi;
No Reino Unido existe um curso que prepara pessoas contra um possível apocalipse zumbi;
Em 2010, 303 pessoas usavam “sais de banho”, hoje esse número é superior a 3.400;
Em caso de zumbis atirem na cabeça;
Guarde suprimentos;
Roube um Motor Home;
Keep Calm and viva o quanto puder.


The Fim.

Por: Lucas Vinícius
De: Osasco – SP
Email: Lucas@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉