Arquivo | Arte RSS feed for this section

I CHARLESTON SP (by Blubell)

8 nov
Depois do sucesso do clipe “Pra Sonhar”, de Marcelo Jeneci, a agência de conteúdo Recheio Digital tem um novo desafio: filmar a homenagem que a cantora paulista Blubell quer fazer à sua cidade em forma de videoclipe.  Inspirada pelo jazz dos anos 20, pelos salões da época e pelas big bands, Blubell encontrou no I Charleston The World, movimento que pretende gravar pessoas dançando o estilo nos principais locais de sua cidade, o elo perfeito para integrar música, dança e vídeo.

O projeto será feito de forma colaborativa. Desde a captação de recursos, via crowdfunding, até a gravação do videoclipe, que qualquer pessoa pode participar. “I Charleston SP by Blubell” já está no site Benfeitoria pra quem quiser contribuir. 

E as recompensas são ótimas: tem CD da Blubell autografado, gravação exclusiva para sua secretária eletrônica, convite especial para festa fechada com presença da cantora, aulas de Charleston e LindyHop, show acústico na sua casa e muito mais. Além disso, contribuições não financeiras também são bem vindas, como transporte, iluminação, figurino etc… Contamos com a colaboração do público para prestar essa homenagem à cidade.

I Charleston SP by Blubell foi lançado no dia 12 de outubro durante o Brasil Swing Out Extravaganza (BSOE), um dos maiores festivais de Lindy Hop e cultura dos anos 20 do Brasil. O evento, realizado pelos grupos de dança HopAholics (SP) e Rio Hoppers (RJ), contou com a participação de professores e dançarinos profissionais de várias partes do mundo, como Lennart Westerlund & Catrine Ljunggren, Daniel Heedman & Åsa Heedman, Elliott Donnelley, Gastón Fernández, Lucy Engle Manuel Bicain & Mariel Gastiarena e Peter BetBasoo. 

Confira o vídeo dos professores se apresentando:


Mas o que é o Charleston?


O nome parece complicado, mas você já deve ter visto muita gente dançando este estilo nos filmes de época. Surgida durante os anos 20, na cidade de Charleston, na Carolina do Sul (EUA), é uma dança alegre e divertida que estava presente nos antigos cabarés.

As mulheres usavam saias pouco mais curtas que o habitual e cabelos à arçonne. Os homens, não menos elegantes, já tinham assimilado o terno como vestuário principal. Chapéu, bigodes e a respeitosa bengala também estavam em voga. Movimentos marcados nas mãos, como se estivesse tocando um pandeiro, acompanhados pelas rápidas projeções laterais dos pés davam o tom da dança, que podia ser dançada sozinho, em dupla ou grupos.
Agora, em pleno 2012, quem diria que o Charleston estaria sendo dançado novamente ao redor do mundo? O estilo está ganhando cada vez mais adeptos e força. O “I Charleston The World” já foi realizado em Paris, Berlim, Tóquio, São Francisco, Estocolmo, Montpellier e Nova York. É por isso que acreditamos que São Paulo, como a maior cidade da América Latina – e uma das principais do mundo – , não pode ficar fora desta!

Juntamente com os dançarinos do grupo HopAholics, que dançam o estilo, a Recheio e a Blubell irão realizar o I Charleston SP by Blubell mostrando a intensidade do Charleston e, claro, de São Paulo.

Por: Recheio Digital

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉