Arquivo | Artigo RSS feed for this section

COLUNA DE PESO: Arco-Íris de Metal

6 jun
Rob Halford, vocalista do Judas Priest.


Renato Russo, Cássia Eller, Cazuza, David Bowie, Freddie Mercury, entrem outros, além de terem o Rock como ligação, também, tinham outro fator em comum: mantinham relações com pessoas do mesmo sexo.

Todo mundo sabe disso. Estas eram e são estrelas do Rock, pois a fama destes ultrapassava as barreiras do gênero musical. Porém… e no Heavy Metal? Como é pouco conhecida pelas massas, muitos associam o fã de Metal com o estereótipo do ser machista e rústico. Se “sair do armário” para um roqueiro é difícil, imagine um headbanger?

Na década de 80, o Metal era visivelmente dividido em duas partes. De uma lado havia as bandas de Heavy e Thrash Metal que gostavam de ser agressivas e que vestiam couro ou jeans. Do outro, tinha as bandas de Hard Rock do movimento Glam Metal que usavam um visual andrógeno, ou seja, aparentavam um hibrido entre homem e mulher. Agora dê uma olhada nas imagens abaixo.

Quem você apontaria como gay? A banda da esquerda ou o vocalista da direita?
Poison, banda de Hard Rock.
Halford, vocalista de Haevy Metal.













Se você escolheu a imagem da esquerda, você se deixou levar pela aparência. A banda Poison fez sucesso na década de 80, auge do Hard Rock (vulgarmente conhecido como Metal Farofa), e seguiram o velho jargão “Sexo, drogas e Rock n´Roll” com muitas mulheres (não só esta banda como muitas deste gênero).  Era comum outras pessoas fazerem piadas com o visual exagerado destes grupos, mas a sexualidade era inquestionável.

Em 1998, Rob Halford (o “Metal God”) veio a público e assumiu a homossexualidade. O vocalista do Judas Priest foi o primeiro do estilo musical a se assumir. A notícia, de certo modo, serviu para diluir preconceitos como os citados no começo deste artigo. Halford era o oposto do que o público imaginava como músico gay, pois utilizava roupas de couro, tachinhas e rebites nos shows. A verdade é que este visual foi inspirado nas boates GLS que ele frequentava.

O Metal God deu uma entrevista, ao site Pollstar, e o homossexualismo foi abordado. “Algumas pessoas estão preparadas para viverem suas vidas de uma maneira invisível. Há milhões de pessoas como nós que mantém suas vidas privadas e estão felizes em fazer isso. E há alguns de nós que percebe que se você tem força – e eu acredito que é uma questão de força – você tem que avançar e dizer a todos quem você é. Eu digo, você vai a lugares como Amsterdã e é como ‘Do que você está falando? Você é gay. Então, o que isso tem a ver com qualquer coisa?’ Eu queria que o mundo fosse todo assim, mas não é. Eu penso, particularmente no metal, ainda há um nível de incompreensão. Ainda há um nível de fobia e intolerância. Mas pra mim, e para nós no PRIEST, nós nunca realmente – ‘sofremos’ não é a palavra – nós nunca fomos expostos a esse tipo de reação. Porque nós ainda temos milhões de fãs que nos amam. Então aqui vamos nós. Talvez eu seja o único – você conhece o show ‘Little Britain’? – talvez eu seja o único gay por aqui”, afirmou. Porém ele estava errado, pois se descobriu depois que não era o único.

Kristian Espedal, mais conhecido com Gaahl.
Outro músico que surpreendeu, ainda mais, quando revelou a homossexualidade foi Gaahl, ex-vocalista do Gorgoroth. Esta que é uma das principais bandas do Black Metal, gênero pertencente ao Metal Extremo. Em 2010, ele ganhou o prêmio “Homossexual do Ano”  da Bergen Gay Galla que premia pessoas ou instituições que contribuem para a comunidade Gay desta cidade norueguesa.

Em entrevista a um jornal local afirmou: “Eu não preciso de um prêmio para ser eu mesmo. Mas se isso pode ajudar outras pessoas na mesma cena que eu, é algo positivo”.

Mesmo assim, ao descobrirem isso, os fãs não deixaram de escutar ou vestir a camisa destas bandas. A sexualidade ou a aparência de ninguém deve servir como fator para se distanciar e se afastar de algo ou alguém. O ser humano é repleto de características e estas são apenas duas delas.


Veja vídeos do Judas Priest e do Gorgoroth:




Por: Afonso Rodrigues
De: São Paulo – SP
Email: afonsorodrigues@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

COLUNA DE PESO: Metal na Net Gringa

26 mar
A cada dia, mais pessoas têm acesso à internet. Com ela, aos poucos, a população está entendo que não são mais dependentes de outros meios para lerem ou assistirem aquilo que querem.
Pelo site YouTube, por exemplo, temos a chance de ver videoclipes ou mesmo apenas escutar as músicas de nossas bandas favoritas, além de poder encontrar novos artistas.
É neste mundo de possibilidades chamado internet que, cada vez mais, alguns indivíduos percebem que estão diante da chance de não serem apenas telespectadores, mas também produzirem os próprios conteúdos.
Os internautas gringos já têm ciência disto há mais tempo. Não faltam exemplos de pessoas que pegaram uma filmadora ou câmera e fizeram vídeos a respeito de determinados assuntos. Dentre eles a música.
No caso do Metal, o exemplo mais notório é o do canal The Needled Drop, criado por Anthony Fantano. Nos vídeos produzidos por ele, o americano faz resenhas de álbuns dos mais variados gêneros musicais, incluindo as vertentes do Heavy Metal.
Fantano faz vídeos de uma forma caseira, mas devido ao grau de qualidade dos vídeos, seja pela qualidade da imagem somada ao talento do próprio, fazem com que o The Needled Drop se torne um ótimo exemplo do fato da internet estar se profissionalizando e crescendo.
Uma característica importante que deve ser salientada é que este webmaker não age como se estivesse fazendo algo para a TV. A forma em que Fantano apresenta é descontraída, divertida e carismática. Veja um exemplo:
O The Needled Drop começou em Janeiro de 2009 e deste então muitos outros seguiram o caminho e exemplo de Fantano e começaram a produzir os próprios vídeos contendo opiniões a respeito de bandas e discos. Ainda naquele ano nasceria o JumbleJunkie Music e, em 2010, o CoverKiller, veja:
Outras produções também surgiram, só que feitos de uma maneira diferente. Os jovens da Absent Productions criaram o web programa chamado A Moment of Metal e os veteranos canadenses Alan e Jimmy, o The Metal Voice. Ambos são bons programas e são apresentados em dupla. Assista:
Dos web programas criados até hoje, aquele que mais se assemelha ao formato televisivo é, sem dúvida, o Metal Injection. Contendo entrevistas e coberturas de eventos feitas com humor e descontração, mas sem perder o profissionalismo, fazem o Metal Injection mostrar que é possível criar conteúdo para internet e com muita qualidade. Acompanhe:

A internet é um mundo de possibilidades e os brasileiros estão começando a também desbravá-lo. Mas isso fica para o artigo de semana que vem…

70000 TONS OF METAL: Um cruzeiro de peso!

29 jan
Sol e o mar do Caribe, 40 bandas, 2.000 headbangers e cinco dias de diversão a bordo de um luxuoso navio são os ingredientes que formam a receita deste festival de Heavy Metal flutuante, o 70000 Tons of Metal.

Nesta semana ocorreu a realização da segunda edição deste evento, entre os dias 23 a 27, que reuniu uma tripulação/fãs de quase 50 países. Seguindo a boa tradição dos festivais dedicados ao estilo, o Tons of Metal trouxe bandas dos mais variados subgêneros como: Folk Metal, Melodic Death Metal, Thrash Metal, Death Metal, Doom Metal, Black Metal, Power Metal, Symphonic Metal, Gothic Metal e Metal tradicional.

Um metal-head curtindo de dentro do 
ofurô o show de sua banda favorita .  
A ideia deste festival é a de atrair os fãs de metal que querem fugir do inverno rigoroso para não somente aproveitar o clima agradável da região, mas que tenham uma experiência única e que nenhum outro evento musical consegue proporcionar: a chance de conviver diariamente com seus artistas favoritos no mesmo local, ou seja, é o sonho de qualquer headbanger que é poder conhecer seus ídolos quando estiver andando pelos corredores do navio ou quando for tomar uma bebida no bar.

Navio MS Majesty of the Seas.
O navio MS Majesty of the Seas traz consigo um cassino, bar 24 horas, academia, piscinas e todo o luxo que se pode esperar, além do mais importante: vários palcos com 40 bandas se revezando durante todo o dia!  

A rota do cruzeiro começa com a partida em Miami (EUA) (primeiro dia do passeio) e segue passando pela costa de Cuba (segundo dia), até atracar em George Town nas Ilhas Cayman (RU) (no terceiro dia), onde os passageiros poderão aproveitar a oportunidade para fazer um passeio turístico pela ilha como nadar nas águas cristalinas caribenhas ou dar uma volta de helicóptero para ver toda a beleza do local por cima.  Depois, no quarto dia, o navio faz o regresso até o ponto inicial da viagem, a Flórida.

Algumas das bandas do line-up deste ano: Edguy, Children of Bodom, Alestorm, Hammerfall e Nightwish. 

Logo do Festival.
Visão do interior da embarcação.
A estrutura do palco e o público.

Vídeo de propaganda:
                          

Para conhecer melhor o 70000 Tons of Metal assista esta matéria:
                         
Para saber mais informações acesse: http://www.70000tons.com/voyage.htm

COLUNA DE PESO: Heavy Christmas!

25 dez
Apesar de que historicamente o Heavy Metal já entrou (e ainda entra) em choque com as religiões (principalmente o cristianismo), quando artistas do gênero resolvem homenagear a data unindo a música pesada com as letras e melodias natalinas, o resultado é ótimo, pois é sempre divertido.

Uma bela amostra deste espírito natalino pode ser escutada no álbum We Wish You A Metal Xmas And A Headbanging New Year, que foi lançado em 2008 contendo a participação de grandes estrelas do Metal como, por exemplo: Alice Cooper; o falecido, porém eterno Ronnie James Dio (Rainbow, Black Sabbath, Dio e Heaven and Hell); Tony Iommi (Black Sabbath e Heaven and Hell); Lemmy Kilmister (Motörhead); George Lynch (ex-Dokken) e Geoff Tate (Queensryche).  Alguns dos clássicos de final de ano que ganharam uma roupagem nova foram Silver Bells, Auld Lang Syne, Happy Xmas (War Is Over), por exemplo. Escute:
                                                  
Charlie Parra del Riego de 26 anos é um notório webmaker, que produz vídeos para o YouTube interpretando várias canções populares apenas tocando guitarra, como temas de abertura de desenhos animados como Dragon Ball Z e He-Man, por exemplo. E para celebrar o Natal, ele resolveu fazer um vídeo tocando a clássica Santa Claus is Coming to Town. Veja:
                                           
Outra banda clássica dos anos 80, também resolveu dar uma repaginada em músicas de Natal. Liderados pelo carismático Dee Snider, o Twisted Sister resolveu lançar um álbum inteiro só com músicas com o tema. Em 2006, lançaram A Twisted Christmas. Como o Twisted Sister já é conhecido como uma das bandas mais divertidas de todos os tempos, logo, neste álbum especial eles conseguiram criar uma das versões mais diferentes e divertidas já vistas para comemorar embalando esta data. Assista:
                                          

Por fim, desejo um Feliz Natal 2011 para todos os leitores e também para os próprios integrantes da Friday neste nosso primeiro Natal trabalhando juntos!