Arquivo | Conexão RSS feed for this section

Conexão Dublin: Curiosidades – Parte 1

11 out
Rio Liffey
foto: banco de imagens

Opa!

Hoje venho para falar sobre aquilo que QUASE nos mata! Não, não é a fome e sim a CURIOSIDADE! Desde que cheguei aqui, a ideia de um post sobre os atrativos irlandeses vem dominando minha cabeça. Além de ser mega interessante, também pode ajudar futuros intercambistas. 

Como estou morando aqui a mais de 2 meses, acredito que posso falar bem sobre algumas coisas e outras nem tanto. Na medida do possível, claro. O que vocês tiverem dúvidas, por favor, só deixar um recadinho aqui na página que procuro me informar e explicar melhor para vocês.

1 – Começo falando sobre o fuso horário. A diferença normal é de 3 horas. Porém, quando a Irlanda está no horário de verão – que acaba dia 28 deste mês – a diferença aumenta uma hora. E, quando o Brasil entra no horário de verão, são apenas 2 horas que “distanciam” estes dois países. 

2 – Seguindo esta mesma linha de raciocínio, no verão o sol demora para se por. Cheguei aqui no final de Julho e a noite só escurecia às 23h. Já no inverno, o sol vai embora mais rápido. Me falaram que às 9h o céu fica claro e ás 16h já está tudo escuro. =x

3 – Aqui na Irlanda, os motoristas dirigem do lado direito do automóvel e do lado esquerdo da rua – assim como na Inglaterra. No começo, quase fui atropelada por causa disso – mãe, eu  disse QUASE = isto significa que eu não fui, ok? 😉

4 – Quanto ao meio de transporte, você pode optar pelos ônibus – de dois andares *–*, pelo LUAS – trem elétrico que circula nas ruas de Dublin, trem – que liga a outras cidades da Irlanda ou bikes – aqui o pessoal respeita os ciclistas.

Luas na rua de Dublin
imagem: site Brasileire
5 – Não há conta de água para residências – ebaaa, meu bolso comemora!!! Apenas as empresas pagam pelo fornecimento do recurso, o que não muda o fato de evitar desperdício né!!!

6 – Informação inicialmente besta, mas muito importante para quem gosta de doces: até agora não vi formigas nas casas. É possível deixar bolo em cima do balcão da cozinha que no dia seguinte ele ainda está inteiro!!!

7 – Gaivota aqui em Dublin é igual pomba na Praça da Sé, em São Paulo. Tem todo o lugar!!! As aves até que são bonitinhas, mas fazem um barulho de manhã que tá loco!!! ;p


Pegue o pombo… ou melhor, a gaivota!!! Foto do dia em que conheci o lindo do Colin Farrell
8 – Remédio sem receita? Nem pensar, meu caro!!! Aqui eles são bastante metódicos nesta parte – o que acho completamente certo. Se passou mal, terá que ir ao doctor só para pegar um remedinho básico!

9 – Percebi que muitas mulheres possuem filhos ainda na “flor da idade”, com seus 20 e poucos anos. O governo irlandês paga um benefício para cada pequenino, até ele completar 18 anos. 

10 – Aqui em Dublin não há CEP. A cidade é dividida pelo rio Liffey, ou seja, a parte norte da cidade possui código postal ímpar (exemplo Dublin 3, Dublin 5 e Dublin 1) e a parte sul tem números pares.

Ps: próxima semana, tem a segunda parte com mais curiosidades!!!  Não percam!!!  😉

Por: Mariana Perez
De: Dublin – Irlanda
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Conexão Dublin: visita à Fábrica da Guinness

2 ago
Welcome to Guinness Storehouse
Ter uma vida só, estar em Dublin e não visitar a fábrica da Guinness? Isto não é vida, é um desperdício meu caro! Mesmo não sendo uma apreciadora de cervejas, não pude hesitar ao convite de meus amigos em pleno sábado chuvoso-ensolarado. Esta bebida é extremamente popular aqui na Irlanda. A Guinness e sua “espuma perfeita” consegue atrair diversas nacionalidades para o local de fabricação na capital irlandesa e pode reunir até 13 mil pessoas no final de semana. 

O prédio da Guinness possui o formato de uma “pint” – referência de medida, que neste caso, é um copo de 568ml – e é dividido em 7 andares: ingredientes, fabricação, publicidade, patrocínios, a pint perfeita, gastronomia e o Gravity Bar. Cada andar tem sua peculiaridade e encanto. Para não esquecer de nenhum detalhe relevante, dividirei meu texto em partes. Enjoy it!


A CHEGADA

Eu vou, eu vou, pra Guinness agora eu vou!
Fomos em 5 pessoas para conhecer o procedimento de fabricação da cerveja. Como já disse em outro post, a cidade é encantadora. Mesmo com chuvas rápidas, o caminho para a instalação da Guinness também não foi diferente. Ao subir a rua para chegar em nosso destino, várias placas e torres já anunciavam o que estava por vir.

Não há como se perder por aqui!

“Por onde entramos?”
Na rua da entrada, há charretes para levar os visitantes mais cansados a outros pontos turísticos de Dublin. Fiquei encantada com a ideia, mas como estou economizando ao máximo, deixei este passeio para outra situação.

Hello sweet horse

PRIMEIRO ANDAR

Para entender o sucesso da Guinness, primeiramente é necessário saber do que é feita a cerveja. No 1º andar, você conhece os quatro ingredientes naturais que compõem a fórmula: cevada irlandês, lúpulo, levedura e água de Dublin.

Watch out: não confunda trigo com cevada – como eu fiz

Água das Montanhas de Wicklow e milhares de cents jogados para fazer pedidos


SEGUNDO ANDAR

A fabricação da cerveja é mostrada no 2º andar. A cevada é convertida em malte, torrada, moída, misturada com água quente e reduzida a mosto. O líquido é depois filtrado e fervido com lúpulo. Em seguida, a levedura é adicionada e a fermentação começa. Só então a cerveja é clarificada, amadurecida e preparada para embalagem. No mesmo andar, há a degustação da Guinness já finalizada, além do malte torrado – que possui um gosto similar ao café.

Let’s taste Guinness!!!
Um dos maquinários antigos da fábrica

TERCEIRO ANDAR

Aqui vem a parte da publicidade da cerveja. O primeiro anúncio, feito em fevereiro de 1929, veio com o slogan “Guinness is good for you” e entrou para a história da publicidade como uma das maiores campanhas já criadas. No mesmo andar, você conhece a história do livro de records Guinness, lançado inicialmente como um livro de fatos para resolver disputas em pubs do Reino Unido e Irlanda.

Os diversos rótulos da Guinness

Be strong with Guinness? 
QUARTO ANDAR

Aqui é possível testar seus conhecimentos sobre a cerveja e como o corpo reage ao álcool. Também há uma grande sala com imagens de patrocínios esportivos e musicais. Caso você tenha algum parente que trabalhou na fábrica, conheça o papel que a pessoa desempenhou na história da empresa.
Beautiful horse

Lindos barris de Guinness
QUINTO ANDAR

Aqui você aprende a fazer uma “pint” perfeita com Guinness. Percebi que as pessoas levam a cerveja totalmente a sério quando vi que há uma técnica para degustá-la. Sim, meus caros, em 6 passos é possível chegar à perfeição:

     – utilizar um copo limpo, seco e gelado;
     – segurar o copo em um ângulo de 45º do bico da chopeira;
     – encher o “pint” (copo) até alcançar o nível de 3/4;
     – deixar a cerveja descansar por um minuto até que a espuma esteja assentada;
     – terminar de encher o copo até a espuma chegar na borda;
     – colocar a pint na mesa com o logo virado para o consumidor.
E ai, achou fácil?

O tão esperado descanso da Guinness
SEXTO ANDAR

Ele pode ser resumido em “comes e bebes”. O Five Guinness & Food Experience possui refeições formais e descontraídas. Também tem o restaurante Gilroy’s que serve a tradicional comida irlandesa com um toque contemporâneo.

Pense num lugar gigante!

SÉTIMO ANDAR

Este é o ponto alto do passeio, literalmente! Através do Gravity Bar, é possível ver a cidade de Dublin com uma vista de 360º. É gratuito e extremamente lindo. Pude ver o parque Phoenix – maior parque urbano da Europa, a Torre de St. Patrick, o Spire – a estrutura mais alta da cidade, as montanhas de Wicklow – fonte da água utilizada na Guinness, e outros pontos turísticos.

O Parque Phoenix e a chuva que estava a caminho


No final das contas, como não tínhamos tomado café da manhã nem almoçado, saímos da fábrica super alegres – tanto por causa do visual maravilhoso quanto por causa da bela e deliciosa Guinness. Posso dizer que valeu cada euro! Infelizmente não aprendi a tirar minha pint e preferi retirar a Guinness já pronta no Gravity Bar, mas em minha próxima visita faço questão de aprender.

Espero que vocês tenham gostado!

See you next week!

Por: Mariana Perez
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Conexão Dublin: a chegada!

26 jul
Rumo à  Holanda, conexão para Dublin


E ai pessoal, como vocês estão? 

Mando este post diretamente de Dublin, Irlanda. Olha, a cidade é maravilhosaa!!! Logo nos primeiros minutos que pisei aqui, fiquei encantada com as ruas (espírito de arquiteta?). Mesmo com uma recepção chuvosa de Ireland, tudo aqui é lindo!!! Como esta semana e a próxima serão bem corridas devido as documentações que preciso ir atrás, hoje vou compartilhar com vocês minha chegada aqui no Velho Mundo!

Meu voo foi tranquilo, apesar de nunca ter andado de avião. A decolagem é bem parecida com montanha russa, sabe? A aeronave pega um impulso louco para sair do chão, inclusive me deu um tremendo frio na barriga. Pensei que fosse vomitar, porque senti uma sensação muito estranha, mas foi apenas por alguns minutos. Por sorte, encontrei uma brasileira antes de entrar no avião que me deu 2 comprimidos de dramin – esqueci de comprar no Brasil   ¬¬’


Comprei as passagens da companhia aérea holandesa KLM e não tenho nenhuma reclamação a fazer! As aeromoças são muito simpáticas – e bonitas. Ah, elas não falam português, apenas um simples, mas importante, “obrigada” ou “tchau”. Quanto às refeições do voo, as comidas são maravilhosas!!! Sai de Guarulhos às 19h15 e depois de alguns minutos no ar, o jantar já foi servido. As opções eram frango ou macarrão. Como queria evitar passar mal ao comer algo pesado, optei pelo chicken, que veio com salada e bolo de limão. Olha ai:

Franguinho com direito a salada e sobremesa

Depois que as aeromoças passaram para o outro lado do avião, vi que elas também serviam vinho – e o melhor: também está incluso na passagem! Como queria capotar depois da janta para o tempo passar rápido, 11 horas de voo, tomei um copinho do Red Wine:

Quanta elegância! 😉

A parte de entretenimento deles é muito boa. Pude assistir filmes recentes como “Jogos Vorazes” e “O Artista”. Tem legenda em português, mas como queria entrar no clima da viagem, infelizmente não achei a legenda em inglês. Além dos filmes, também há games e música! Nem lembrei de pegar meu MP3, confesso! 


Ao amanhecer, as aeromoças serviram o breakfast. Uma delícia de omelete, muffin, salada de frutas e um pãozinho. Para minha tristeza não tinha chocolate quente, e como podia escolher suco, café ou água para beber, escolhi a 1ª opção.

Maravilha de café da manhã

Vale comentar que, durante a madrugada, quem estava acordado ganhou sorvete de chocolate. Fantástico! Não tirei foto porque tinha acabado de acordar e nem lembrei da câmera, que esteve comigo todo momento.


Fiz a conexão para Dublin em Amsterdam. Pensei que o de Cumbica fosse grande, mas ao  chegar em Schiphol, fiquei impressionada. Tem até esteiras para ajudar as pessoas a se locomoverem mais rápido. Filmei um rápido vídeo para vocês terem uma ideia. Desculpa pelos errinhos de português e o áudio baixo, mas estava nervosa – ansiosa.

Como é incrível ver uma cidade por cima! Tive a sensação de ter visto uma maquete gigante com minúsculos carros e casinhas. Vi até castelo sobrevoando a Holanda, mas fiquei tão maravilhada com a imagem que não lembrei de bater foto, a não ser esta:

A bela Amsterdam

Apesar de ter sido recepcionada com a famosa garoa de Dublin, a cidade não perdeu o encanto! Posso antecipar que tudo aqui é lindo. Os detalhes deixarei para a próxima semana!  


See you guys! 😉

Welcome to Dublin!

Por: Mariana Perez
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Bora conhecer Irlanda?

20 jul
Dublin dividida pelo rio Liffey

Você já imaginou andar em uma rua com casas georgianas enquanto os raios de sol aquecem os cabelos e o vento canta uma doce melodia? Apenas peço para não se assustar se encontrar um pequeno ruivo de vestimentas verdes que traz consigo um potinho de ouro. Talvez seja um Leprechaun ou um cosplay. De qualquer forma, eu os convido a conhecer a Ilha Esmeralda. Ou Irlanda, se preferirem!


Próxima segunda-feira, 23/07, viajo de São Paulo para Dublin. A duração do voo é de apenas 14 horas, com direito a conexão de 1 hora em Amsterdã. Durante esse tempo que vou morar e estudar no Velho Mundo, 1 ano, registrarei aqui na Friday tudo o que for interessante e peculiar. Desde passeios culturais até artistas de rua com seus números fascinantes! 
Prepare-se para conhecer tudo o que rola na terra do U2 – ou do lugar onde não há cobras 😡


Então, marca ai na sua agenda ou no celular: temos um encontro marcado TODAS AS QUINTAS-FEIRAS


Até a próxima, só que desta vez, direto de Dublin! 
Por: Mariana Perez
De: São Paulo – SP
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? Faça como eles 😉