Arquivo | Dublin RSS feed for this section

Conexão Dublin: Como é o trabalho no pub?

15 dez
Pessoal do trabalho após Halloween no The Barge
Desde que sai de São Paulo, já vinha com a ideia de trabalhar em um restaurante assim que chegasse em Dublin. Após o esforço e correria atrás de emprego, consegui. Faz 3 meses que trabalho como staff no pub The Barge e já posso fazer uma lista com as vantagens e desvantagens da função. Espero que possa ajudar futuros intercambistas!


Fiquei cerca de um mês só acertando os documentos quando pisei na Ilha Esmeralda. Ou seja, o dinheiro saia e não retornava. Depois que vi minha conta bancária, quase desmaiei e tomei uma atitude: procurar um emprego. As opções eram: garçonete, au pair – mesmo que babá e cleaner – faxina em hotéis, casas de família ou em qualquer outro lugar que precisasse. Óbvio que trabalhar em um bar era meu foco, mas caso não conseguisse emprego rápido, teria que partir para as outras áreas. Até que não demorei tanto para entrar no The Barge, mas o que andei de pub em pub entregando currículo não é brinquedo não!

Consegui meu emprego através do site Gumtree.ie em uma semana após o currículo estar completo. Aqui, se você não tem experiência na área, acaba “arranjando”. E sabe como? Da maneira mais simples possível: colocando no currículo que já trabalhou com isso ou com aquilo. Sim meus caros, cara de pau nessas horas é tudo! Ou nada! Porque o gerente também pode perceber que você não tem experiência como diz ter e ai já euvis!

Durante o primeiro mês, trabalhava apenas 2 dias na semana: sexta e sábado. Aqui o salário mínimo é 8,65 euros por hora, então quase não via resultados financeiros que eu estava esperando. O bom de se trabalhar como atendente em um restaurante é a gorjeta, que no começo também não era essas coisas pois não me comunicava muito com o cliente – uma vez que meu inglês não é perfeito.

Agora, com 3 meses na casa, trabalho 4 dias por semana. A escala dos empregados muda toda semana: a única coisa que tenho certeza é que trabalho sexta e sábado – dias mais movimentados. E é ai que está o X da questão! Nunca mais fui para as baladas daqui de Dublin pois trabalho no período noturno (até o pub fechar). Então quanto à diversão, tenho me restringindo e MUITO!!!

O lado bom é que percebi minha evolução na língua inglesa. Hoje em dia já não tenho mais receio de ficar sozinha com um gringo, com medo de puxar assunto. Claro que não estou fluente – AINDA – mas consigo manter um diálogo legal. Notei isso na questão das caixinhas. Estas últimas semanas tenho recebido mais gorjetas que inicialmente. Sei que um pouco desse lucro é por causa da época, mas o outro pouco também é por estar interagindo mais com os clientes.


Outro fator legal agora é a graninha que tenho feito nesses 4 dias que trabalho por semana. Como quero renovar meu visto, ou seja pagar outro curso de inglês + as passagens de avião do Brasil para Irlanda (volto para o Brasil-il-il no dia 18 de maio, fico umas 3 semanas e venho para Dublin novamente) sem a ajuda financeira dos meus pais, posso dizer que estou concluindo meus objetivos. 

Bom, o que eu quis passar neste texto é que, todas as opções tem seus lados positivo e negativo. Basta você colocar na balança e ver o que você mais necessita no momento. Eu podia optar por diversão ou trabalho. Agora estou no trabalho, mas para garantir a diversão futura! Fora que, meus planos para ficar aqui em Dublin passam dos 2 anos, então tudo em seu tempo!


Por: Mariana Perez – esperando ansiosamente o day off – folga
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Anúncios

Conexão Dublin: Premiere do filme "O Vingador do Futuro"

16 ago
Cinema Savoy e a Premiere do filme Total Recall
Começo meu post com uma dica muito valiosa: sigam seus instintos! Sério, não hesite em fazer algo se você sentir que deve. Digo isso porque este post – e meu sonho que se realizou – só está aqui graças ao meu feeling e minha caminhada sem rumo por Dublin.

Na última terça-feira, dia 14, eu estava totalmente desesperada. Tinha cerca de 48 horas para  produzir um texto e colocá-lo aqui. O único problema era que não tinha nada em mente. Meu final de semana foi parado devido a dor de garganta. Então, vocês podem imaginar. Não tinha ânimo para sair, apenas para tomar o antibiótico na hora exata. Ao me ver nesta situação crítica, decidi sair de casa e tirar algumas fotos da rua Temple Bar, famosa por seus pubs. Sei lá, descrever como é a noite em alguns dos bares desta rua ou falar de um especificamente.

Famoso bar que tem o nome da rua
Assim como escrevi no primeiro parágrafo para vocês, decidi seguir meu instinto. Já tinha tirado algumas fotos no Temple Bar mas ainda não sabia o que escrever para a Friday. Minha mente já não sabia o que pensar, então posso dizer que apenas andei por Dublin, sem rumo e sem destino. O relógio marcava 17h00 quando terminei meu percurso pelos pubs. Passei na frente da minha escola, atravessei a avenida e fui para a O’Connell Street. Algo me dizia que eu tinha que andar até o final dela. Sabe aquele sentimento que não dá para explicar? Pois bem…

Crianças fazendo pose no começo da O’Connell Street
Quase no final da rua, vi uma grande concentração de pessoas na frente de um lugar o qual não conhecia até anteontem. A uns 3 metros do chão, havia um letreiro escrito “Savoy”. Só após uns segundos a primeira ficha caiu. Assim que avistei um cartaz gigante do filme Total Recall (ou O Vingador do Futuro, em português) entendi que aquele lugar se tratava de um cinema. Foi ai que a outra ficha caiu ou ficou engasgada durante um tempinho. Fiz uma rápida associação: se há muitas pessoas ao redor de um cinema e um filme está prestes a estrear, só pode ser a premiere dele!

Infelizmente terei que esperar para vê-lo (na telona)
Atravessei a rua e logo perguntei para um jovem rapaz o que estava acontecendo. Ele me disse que os atores do filme Total Recall iriam naquele local. Mesmo já sabendo a resposta, tive que perguntar “o Colin Farrell vai estar aqui?”. Assim que ouvi o “yes”, já procurei um lugarzinho para poder vê-lo claramente, mesmo sem estar com meus óculos para miopia e astigmatismo. 

Confesso que sou apaixonada por este ator desde que me conheço por gente. Para vocês terem uma ideia, meu primeiro e único msn leva o sobrenome dele 😡

Premiere irlandesa do filme Total Recall
Minha primeira reação ao saber que veria o ator pessoalmente foi rir. Sim, meus caros. Quando fico nervosa, começo a rir igual uma doida. Estranho, eu sei, mas fazer o que? Cada um com sua mania rs. Depois do ataque de risos, quis compartilhar minha alegria com alguém. “Alô, Nelson? Minha mãe está ai? Não? Tudo bem então, mais tarde ligo pra ela. Beijos”. Como é ruim não ter um celular com internet, ai ai ai!!!

Visão relativamente boa, mas atrás da bunda de um fotógrafo
Apesar de não ter gostado da ideia no início, decidi ficar atrás de um fotógrafo. Afinal, era só ele e a grade na minha frente. O único problema é que ele estava com uma pequena escada de 3 degraus, ou seja, a bunda dele estava literalmente no meu rosto. Olha, quanta humilhação! O que não fazemos por quem amamos. Teve uma hora em que eu pensei em sair daquele lugar – quando ele soltou um pum ¬¬’ – mas pensei: “Mariana, aguenta! Você vai ver quem você nunca pensou que fosse ver! Seja forte! Enfrenta essa pelo Colin Farrell!”. Ok instinto, tô contigo e não abro mão. 

Fiquei nesta posição desagradável por cerca de 30 minutos quando a Jessica Biel pisou no tapete vermelho. Não conseguia enxergar nada até ela subir em um palco que estava instalado na minha frente (por essas e outras decidi não sair dali). Como a atriz é linda!

A bela e elegante Jessica Biel na minha frente

Parece que eles estão olhando pra mim né? Mas não! É para o fotógrafo bundão!
Uns 5 minutos após a Biel, a atriz Kate Beckinsale apareceu com seu longo vestido rosa pink. Fiquei espantada com a beleza das duas atrizes. Falam que a maquiagem muda a pessoa e tal, mas pelo que vi, elas devem ser lindas sem o make up também!

Kate Beckinsale na rápida entrevista da premiere
O diretor do filme e marido de Kate Beckinsale também subiu ao palco para falar um pouco do filme. Na minha opinião, o diretor Len Wiseman teve a entrevista um pouco ofuscada porque naquele exato momento o Colin Farrell estava se aproximando do lugar. Uma pena, diga-se de passagem. Enquanto o diretor falava do remake, eu só conseguia ouvir os gritos da mulherada: “Colin! Come here!”.

Diretor Len Wiseman
Sempre pensei que minha reação ao vê-lo seria chorar MUITO, mas não! Fiquei apenas observando o ator, atônica e desnorteada. Naquela hora, infelizmente, ele não passou tão perto de mim e foi direto ao palco para uma entrevista básica. Muito simpático, ele comentou sobre o filme e até falou que adora comer kebab no restaurante Abrakebabra aqui em Dublin #FicaDicaMari kkk

Não lembro o que ele falou, apenas fiquei admirando a beleza

A mesma coisa da foto acima

Pose para o fotógrafo bundão que estava na minha frente
Assim que ele desceu do palco, o fotógrafo pediu para ele se aproximar, mas o Colin disse que agora não podia ficar mais e que tinha que entrar. Foi então que a música abaixou, algumas pessoas foram embora – inclusive o fotógrafo – e eu fiquei colada na grade. Pensei em ir embora também, pois achei que eles ainda iam assistir o filme e só depois sairiam para atender aos fãs, até que meu instinto falou novamente comigo: “Poha Mariana! Você já está aqui mesmo! O que custa ficar 2 horas aqui para ver bem de perto seu ator favorito e quem sabe tirar foto com ele? Vai mesmo jogar esta oportunidade fora?”. Verdade! Concordei comigo mesma e decidi ficar lá o tempo que fosse necessário. Para minha alegria, esperei cerca de 20 minutos apenas!

Bye Jessica Biel!

Bye Kate Beckinsale e Len Wiseman
A primeira a sair foi a Jessica Biel. Simpática, ela ainda tirou algumas fotos e deu alguns autógrafos antes de entrar no carro. Logo após veio a Kate Beckinsale com o marido e diretor Len Wiseman. Os dois também acenaram para algumas fotos e saíram também. Cinco minutos depois vem quem eu esperava: Colin Farrell! Foi direto em direção aos fãs e já distribuiu fotos e autógrafos. Acredito que ele tenha ficado cerca de 20 minutos dando atenção àqueles que adoram seu trabalho. 

“Cadê meu caderno?”, pensei

“Pelo menos tenho minha câmera”, conclui
A assessora do ator estava na minha frente, direcionando-o para não ficar parado por muito tempo. Chamei-a e comentei que era do Brasil e que vim aqui só para vê-lo – não menti, omiti! Ela logo abriu um sorriso e falou: “Sério? Colin, temos fã brasileira aqui”. Quando vi aqueles olhos castanhos claros me olhando e sorrindo, a única coisa que consegui dizer foi: “Oi Colin. Eu vim do Brasil. Posso tirar uma foto com você?”. Lembro que ele logo ficou do meu lado e disse “Como vai o Brasil?”. PQP, pensei, deixa eu segurar este homem para ter certeza que isto está acontecendo. Passei a minha câmera para a assessora e olha ai o resultado:

Alguém me belisca?
Assim que agradeço aos dois pela foto, o Colin olha mais uma vez para mim e diz “welcome”. Poha, ganhei o dia! Ou melhor, a viagem toda!!! Sabe quando você pensa que nunca vai conseguir realizar um sonho? Pois é! Levei um tapa do destino para largar a mão de dizer “nunca”.

Assim que ele entra no carro e vai embora, decidi pegar meu rumo. Fui na casa do namorado da minha amiga para encontrá-los e dizer: “hoje o engradado de cerveja é por minha conta”! Após uns 10 minutos do acontecido, já no corredor da casa deles, comecei a extravasar tudo o que não havia feito na hora: chorei, gritei, gargalhei, pulei e chorei novamente! Posso dizer que minha vinda para Irlanda já estava ótima, mas depois de ter visto o Colin Farrell, tudo está perfeitamente perfeito! 

Mais uma vez digo para vocês: ouçam seus instintos! Quem sabe vocês não conhecem aquele ator ou músico preferido enquanto caminham pela cidade? 😉

Até a próxima quinta-feira! o/



Por: Mariana Perez
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Conexão Dublin: Zombie Walk 2012

9 ago


No último sábado, dia 04 de Agosto, as ruas de Dublin pareciam os cenários do seriado “The Walking Dead”. Rastros de sangue no chão, roupas rasgadas, ferimentos expostos. Uma verdadeira carniça – mas com muita organização! Bastava escolher seu melhor traje e ir atrás de cérebros com centenas de zumbis ao seu redor. Vale lembrar que, além da diversão proporcionada anualmente, a Dublin Zombie Walk tem como finalidade arrecadar dinheiro para causas sociais como o câncer e violência contra as crianças (Irish Cancer Society e Barnardo’s).

Peço para tirar uma foto e o que eu ganho? 3 zombies vindo em minha direção

O encontro dos mortos vivos começou ao meio dia, no parque St. Stephen’s Green. As pessoas podiam ir maquiadas para a caminhada ou pagar 10 euros para obterem um belo machucado “artificial”. Como nunca tinha ido a um evento desses (nem no Brasil), minha primeira impressão foi: como eles estão nojentos! Só não corri de medo porque o encontro era durante o dia. Não gosto nem de imaginar aquele parque à noite com vários zumbis – to foraaa!!!

Pessoalmente era pior!

Assim que entrei no parque, pude ver várias pessoas sentadas na grama, arrumando-se para a caminhada. As mochilas aparentemente grandes tornavam-se cada vez menores quando os donos tiravam maquiagens, garrafas de sangue falso, papel higiênico e até algumas guloseimas. Ver o resultado final é incrível, mas ver o making of é melhor ainda!

Produção à la zombie

Quase pronto para a caminhada

Acredito ter visto todos os tipos de zumbis existentes: americanos, asiáticos, super herois, famosos, médicos, padres, crianças, homens vestidos de mulheres e vice-versa. E não pense que os pequenininhos tinham medo não! ELES assustavam os outros! Inclusive, todos que estavam no parque incorporaram o espírito de um morto vivo. Era algo muito legal e estranho de se ver! Pensei – e vivenciei – por alguns instantes como seria se tivéssemos que conviver com os zombies. Que loucura!

Say “Hello” to Brazil
So shy and beautiful!!! *–*


Mas, se há os mortos vivos, também há aqueles que os caçam e os matam, certo? Em Dublin não foi diferente! Perto de um dos portões do parque, encontrei os exterminadores de zombies! Todos muito bem vestidos e com armas de brinquedo, o grupo também botava respeito no lugar. Ahhh sim, a todo instante, eles eram provocados pelos zombies, mas se saiam muito bem.

Bora timeeee!!!!!

Boto fé em vocês – mesmo com essa arminha de água!

Infelizmente não pude ficar para a caminhada porque precisava matar quem me matava: a fome! Sai de casa sem tomar o café da manhã, então o bicho tava pegando. E pasmem, consegui comer tranquilamente depois de ver muitas fantasias nojentas! De qualquer forma, mostro aqui algumas fotos de como foi o encontro da galera no Stephen’s Green! 😉

Quanta cortesia!
Um dos mais nojentos também!

Princesa + linda do parque!

Desde quando zombie toma refri? 

O bracinho + criativo da caminhada

Chapeuzinho Vermelho com a cabeça do Lobo Mal

A freira doidona – e grávida haha
Quem manda mexer com a pessoa errada?
Por: Mariana Perez
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Conexão Dublin: visita à Fábrica da Guinness

2 ago
Welcome to Guinness Storehouse
Ter uma vida só, estar em Dublin e não visitar a fábrica da Guinness? Isto não é vida, é um desperdício meu caro! Mesmo não sendo uma apreciadora de cervejas, não pude hesitar ao convite de meus amigos em pleno sábado chuvoso-ensolarado. Esta bebida é extremamente popular aqui na Irlanda. A Guinness e sua “espuma perfeita” consegue atrair diversas nacionalidades para o local de fabricação na capital irlandesa e pode reunir até 13 mil pessoas no final de semana. 

O prédio da Guinness possui o formato de uma “pint” – referência de medida, que neste caso, é um copo de 568ml – e é dividido em 7 andares: ingredientes, fabricação, publicidade, patrocínios, a pint perfeita, gastronomia e o Gravity Bar. Cada andar tem sua peculiaridade e encanto. Para não esquecer de nenhum detalhe relevante, dividirei meu texto em partes. Enjoy it!


A CHEGADA

Eu vou, eu vou, pra Guinness agora eu vou!
Fomos em 5 pessoas para conhecer o procedimento de fabricação da cerveja. Como já disse em outro post, a cidade é encantadora. Mesmo com chuvas rápidas, o caminho para a instalação da Guinness também não foi diferente. Ao subir a rua para chegar em nosso destino, várias placas e torres já anunciavam o que estava por vir.

Não há como se perder por aqui!

“Por onde entramos?”
Na rua da entrada, há charretes para levar os visitantes mais cansados a outros pontos turísticos de Dublin. Fiquei encantada com a ideia, mas como estou economizando ao máximo, deixei este passeio para outra situação.

Hello sweet horse

PRIMEIRO ANDAR

Para entender o sucesso da Guinness, primeiramente é necessário saber do que é feita a cerveja. No 1º andar, você conhece os quatro ingredientes naturais que compõem a fórmula: cevada irlandês, lúpulo, levedura e água de Dublin.

Watch out: não confunda trigo com cevada – como eu fiz

Água das Montanhas de Wicklow e milhares de cents jogados para fazer pedidos


SEGUNDO ANDAR

A fabricação da cerveja é mostrada no 2º andar. A cevada é convertida em malte, torrada, moída, misturada com água quente e reduzida a mosto. O líquido é depois filtrado e fervido com lúpulo. Em seguida, a levedura é adicionada e a fermentação começa. Só então a cerveja é clarificada, amadurecida e preparada para embalagem. No mesmo andar, há a degustação da Guinness já finalizada, além do malte torrado – que possui um gosto similar ao café.

Let’s taste Guinness!!!
Um dos maquinários antigos da fábrica

TERCEIRO ANDAR

Aqui vem a parte da publicidade da cerveja. O primeiro anúncio, feito em fevereiro de 1929, veio com o slogan “Guinness is good for you” e entrou para a história da publicidade como uma das maiores campanhas já criadas. No mesmo andar, você conhece a história do livro de records Guinness, lançado inicialmente como um livro de fatos para resolver disputas em pubs do Reino Unido e Irlanda.

Os diversos rótulos da Guinness

Be strong with Guinness? 
QUARTO ANDAR

Aqui é possível testar seus conhecimentos sobre a cerveja e como o corpo reage ao álcool. Também há uma grande sala com imagens de patrocínios esportivos e musicais. Caso você tenha algum parente que trabalhou na fábrica, conheça o papel que a pessoa desempenhou na história da empresa.
Beautiful horse

Lindos barris de Guinness
QUINTO ANDAR

Aqui você aprende a fazer uma “pint” perfeita com Guinness. Percebi que as pessoas levam a cerveja totalmente a sério quando vi que há uma técnica para degustá-la. Sim, meus caros, em 6 passos é possível chegar à perfeição:

     – utilizar um copo limpo, seco e gelado;
     – segurar o copo em um ângulo de 45º do bico da chopeira;
     – encher o “pint” (copo) até alcançar o nível de 3/4;
     – deixar a cerveja descansar por um minuto até que a espuma esteja assentada;
     – terminar de encher o copo até a espuma chegar na borda;
     – colocar a pint na mesa com o logo virado para o consumidor.
E ai, achou fácil?

O tão esperado descanso da Guinness
SEXTO ANDAR

Ele pode ser resumido em “comes e bebes”. O Five Guinness & Food Experience possui refeições formais e descontraídas. Também tem o restaurante Gilroy’s que serve a tradicional comida irlandesa com um toque contemporâneo.

Pense num lugar gigante!

SÉTIMO ANDAR

Este é o ponto alto do passeio, literalmente! Através do Gravity Bar, é possível ver a cidade de Dublin com uma vista de 360º. É gratuito e extremamente lindo. Pude ver o parque Phoenix – maior parque urbano da Europa, a Torre de St. Patrick, o Spire – a estrutura mais alta da cidade, as montanhas de Wicklow – fonte da água utilizada na Guinness, e outros pontos turísticos.

O Parque Phoenix e a chuva que estava a caminho


No final das contas, como não tínhamos tomado café da manhã nem almoçado, saímos da fábrica super alegres – tanto por causa do visual maravilhoso quanto por causa da bela e deliciosa Guinness. Posso dizer que valeu cada euro! Infelizmente não aprendi a tirar minha pint e preferi retirar a Guinness já pronta no Gravity Bar, mas em minha próxima visita faço questão de aprender.

Espero que vocês tenham gostado!

See you next week!

Por: Mariana Perez
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Conexão Dublin: a chegada!

26 jul
Rumo à  Holanda, conexão para Dublin


E ai pessoal, como vocês estão? 

Mando este post diretamente de Dublin, Irlanda. Olha, a cidade é maravilhosaa!!! Logo nos primeiros minutos que pisei aqui, fiquei encantada com as ruas (espírito de arquiteta?). Mesmo com uma recepção chuvosa de Ireland, tudo aqui é lindo!!! Como esta semana e a próxima serão bem corridas devido as documentações que preciso ir atrás, hoje vou compartilhar com vocês minha chegada aqui no Velho Mundo!

Meu voo foi tranquilo, apesar de nunca ter andado de avião. A decolagem é bem parecida com montanha russa, sabe? A aeronave pega um impulso louco para sair do chão, inclusive me deu um tremendo frio na barriga. Pensei que fosse vomitar, porque senti uma sensação muito estranha, mas foi apenas por alguns minutos. Por sorte, encontrei uma brasileira antes de entrar no avião que me deu 2 comprimidos de dramin – esqueci de comprar no Brasil   ¬¬’


Comprei as passagens da companhia aérea holandesa KLM e não tenho nenhuma reclamação a fazer! As aeromoças são muito simpáticas – e bonitas. Ah, elas não falam português, apenas um simples, mas importante, “obrigada” ou “tchau”. Quanto às refeições do voo, as comidas são maravilhosas!!! Sai de Guarulhos às 19h15 e depois de alguns minutos no ar, o jantar já foi servido. As opções eram frango ou macarrão. Como queria evitar passar mal ao comer algo pesado, optei pelo chicken, que veio com salada e bolo de limão. Olha ai:

Franguinho com direito a salada e sobremesa

Depois que as aeromoças passaram para o outro lado do avião, vi que elas também serviam vinho – e o melhor: também está incluso na passagem! Como queria capotar depois da janta para o tempo passar rápido, 11 horas de voo, tomei um copinho do Red Wine:

Quanta elegância! 😉

A parte de entretenimento deles é muito boa. Pude assistir filmes recentes como “Jogos Vorazes” e “O Artista”. Tem legenda em português, mas como queria entrar no clima da viagem, infelizmente não achei a legenda em inglês. Além dos filmes, também há games e música! Nem lembrei de pegar meu MP3, confesso! 


Ao amanhecer, as aeromoças serviram o breakfast. Uma delícia de omelete, muffin, salada de frutas e um pãozinho. Para minha tristeza não tinha chocolate quente, e como podia escolher suco, café ou água para beber, escolhi a 1ª opção.

Maravilha de café da manhã

Vale comentar que, durante a madrugada, quem estava acordado ganhou sorvete de chocolate. Fantástico! Não tirei foto porque tinha acabado de acordar e nem lembrei da câmera, que esteve comigo todo momento.


Fiz a conexão para Dublin em Amsterdam. Pensei que o de Cumbica fosse grande, mas ao  chegar em Schiphol, fiquei impressionada. Tem até esteiras para ajudar as pessoas a se locomoverem mais rápido. Filmei um rápido vídeo para vocês terem uma ideia. Desculpa pelos errinhos de português e o áudio baixo, mas estava nervosa – ansiosa.

Como é incrível ver uma cidade por cima! Tive a sensação de ter visto uma maquete gigante com minúsculos carros e casinhas. Vi até castelo sobrevoando a Holanda, mas fiquei tão maravilhada com a imagem que não lembrei de bater foto, a não ser esta:

A bela Amsterdam

Apesar de ter sido recepcionada com a famosa garoa de Dublin, a cidade não perdeu o encanto! Posso antecipar que tudo aqui é lindo. Os detalhes deixarei para a próxima semana!  


See you guys! 😉

Welcome to Dublin!

Por: Mariana Perez
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Bora conhecer Irlanda?

20 jul
Dublin dividida pelo rio Liffey

Você já imaginou andar em uma rua com casas georgianas enquanto os raios de sol aquecem os cabelos e o vento canta uma doce melodia? Apenas peço para não se assustar se encontrar um pequeno ruivo de vestimentas verdes que traz consigo um potinho de ouro. Talvez seja um Leprechaun ou um cosplay. De qualquer forma, eu os convido a conhecer a Ilha Esmeralda. Ou Irlanda, se preferirem!


Próxima segunda-feira, 23/07, viajo de São Paulo para Dublin. A duração do voo é de apenas 14 horas, com direito a conexão de 1 hora em Amsterdã. Durante esse tempo que vou morar e estudar no Velho Mundo, 1 ano, registrarei aqui na Friday tudo o que for interessante e peculiar. Desde passeios culturais até artistas de rua com seus números fascinantes! 
Prepare-se para conhecer tudo o que rola na terra do U2 – ou do lugar onde não há cobras 😡


Então, marca ai na sua agenda ou no celular: temos um encontro marcado TODAS AS QUINTAS-FEIRAS


Até a próxima, só que desta vez, direto de Dublin! 
Por: Mariana Perez
De: São Paulo – SP
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? Faça como eles 😉