Arquivo | dúvidas RSS feed for this section

Conexão Dublin: Como é o trabalho no pub?

15 dez
Pessoal do trabalho após Halloween no The Barge
Desde que sai de São Paulo, já vinha com a ideia de trabalhar em um restaurante assim que chegasse em Dublin. Após o esforço e correria atrás de emprego, consegui. Faz 3 meses que trabalho como staff no pub The Barge e já posso fazer uma lista com as vantagens e desvantagens da função. Espero que possa ajudar futuros intercambistas!


Fiquei cerca de um mês só acertando os documentos quando pisei na Ilha Esmeralda. Ou seja, o dinheiro saia e não retornava. Depois que vi minha conta bancária, quase desmaiei e tomei uma atitude: procurar um emprego. As opções eram: garçonete, au pair – mesmo que babá e cleaner – faxina em hotéis, casas de família ou em qualquer outro lugar que precisasse. Óbvio que trabalhar em um bar era meu foco, mas caso não conseguisse emprego rápido, teria que partir para as outras áreas. Até que não demorei tanto para entrar no The Barge, mas o que andei de pub em pub entregando currículo não é brinquedo não!

Consegui meu emprego através do site Gumtree.ie em uma semana após o currículo estar completo. Aqui, se você não tem experiência na área, acaba “arranjando”. E sabe como? Da maneira mais simples possível: colocando no currículo que já trabalhou com isso ou com aquilo. Sim meus caros, cara de pau nessas horas é tudo! Ou nada! Porque o gerente também pode perceber que você não tem experiência como diz ter e ai já euvis!

Durante o primeiro mês, trabalhava apenas 2 dias na semana: sexta e sábado. Aqui o salário mínimo é 8,65 euros por hora, então quase não via resultados financeiros que eu estava esperando. O bom de se trabalhar como atendente em um restaurante é a gorjeta, que no começo também não era essas coisas pois não me comunicava muito com o cliente – uma vez que meu inglês não é perfeito.

Agora, com 3 meses na casa, trabalho 4 dias por semana. A escala dos empregados muda toda semana: a única coisa que tenho certeza é que trabalho sexta e sábado – dias mais movimentados. E é ai que está o X da questão! Nunca mais fui para as baladas daqui de Dublin pois trabalho no período noturno (até o pub fechar). Então quanto à diversão, tenho me restringindo e MUITO!!!

O lado bom é que percebi minha evolução na língua inglesa. Hoje em dia já não tenho mais receio de ficar sozinha com um gringo, com medo de puxar assunto. Claro que não estou fluente – AINDA – mas consigo manter um diálogo legal. Notei isso na questão das caixinhas. Estas últimas semanas tenho recebido mais gorjetas que inicialmente. Sei que um pouco desse lucro é por causa da época, mas o outro pouco também é por estar interagindo mais com os clientes.


Outro fator legal agora é a graninha que tenho feito nesses 4 dias que trabalho por semana. Como quero renovar meu visto, ou seja pagar outro curso de inglês + as passagens de avião do Brasil para Irlanda (volto para o Brasil-il-il no dia 18 de maio, fico umas 3 semanas e venho para Dublin novamente) sem a ajuda financeira dos meus pais, posso dizer que estou concluindo meus objetivos. 

Bom, o que eu quis passar neste texto é que, todas as opções tem seus lados positivo e negativo. Basta você colocar na balança e ver o que você mais necessita no momento. Eu podia optar por diversão ou trabalho. Agora estou no trabalho, mas para garantir a diversão futura! Fora que, meus planos para ficar aqui em Dublin passam dos 2 anos, então tudo em seu tempo!


Por: Mariana Perez – esperando ansiosamente o day off – folga
De: Dublin – Ireland
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Anúncios

Conexão Dublin: Curiosidades – Parte 1

11 out
Rio Liffey
foto: banco de imagens

Opa!

Hoje venho para falar sobre aquilo que QUASE nos mata! Não, não é a fome e sim a CURIOSIDADE! Desde que cheguei aqui, a ideia de um post sobre os atrativos irlandeses vem dominando minha cabeça. Além de ser mega interessante, também pode ajudar futuros intercambistas. 

Como estou morando aqui a mais de 2 meses, acredito que posso falar bem sobre algumas coisas e outras nem tanto. Na medida do possível, claro. O que vocês tiverem dúvidas, por favor, só deixar um recadinho aqui na página que procuro me informar e explicar melhor para vocês.

1 – Começo falando sobre o fuso horário. A diferença normal é de 3 horas. Porém, quando a Irlanda está no horário de verão – que acaba dia 28 deste mês – a diferença aumenta uma hora. E, quando o Brasil entra no horário de verão, são apenas 2 horas que “distanciam” estes dois países. 

2 – Seguindo esta mesma linha de raciocínio, no verão o sol demora para se por. Cheguei aqui no final de Julho e a noite só escurecia às 23h. Já no inverno, o sol vai embora mais rápido. Me falaram que às 9h o céu fica claro e ás 16h já está tudo escuro. =x

3 – Aqui na Irlanda, os motoristas dirigem do lado direito do automóvel e do lado esquerdo da rua – assim como na Inglaterra. No começo, quase fui atropelada por causa disso – mãe, eu  disse QUASE = isto significa que eu não fui, ok? 😉

4 – Quanto ao meio de transporte, você pode optar pelos ônibus – de dois andares *–*, pelo LUAS – trem elétrico que circula nas ruas de Dublin, trem – que liga a outras cidades da Irlanda ou bikes – aqui o pessoal respeita os ciclistas.

Luas na rua de Dublin
imagem: site Brasileire
5 – Não há conta de água para residências – ebaaa, meu bolso comemora!!! Apenas as empresas pagam pelo fornecimento do recurso, o que não muda o fato de evitar desperdício né!!!

6 – Informação inicialmente besta, mas muito importante para quem gosta de doces: até agora não vi formigas nas casas. É possível deixar bolo em cima do balcão da cozinha que no dia seguinte ele ainda está inteiro!!!

7 – Gaivota aqui em Dublin é igual pomba na Praça da Sé, em São Paulo. Tem todo o lugar!!! As aves até que são bonitinhas, mas fazem um barulho de manhã que tá loco!!! ;p


Pegue o pombo… ou melhor, a gaivota!!! Foto do dia em que conheci o lindo do Colin Farrell
8 – Remédio sem receita? Nem pensar, meu caro!!! Aqui eles são bastante metódicos nesta parte – o que acho completamente certo. Se passou mal, terá que ir ao doctor só para pegar um remedinho básico!

9 – Percebi que muitas mulheres possuem filhos ainda na “flor da idade”, com seus 20 e poucos anos. O governo irlandês paga um benefício para cada pequenino, até ele completar 18 anos. 

10 – Aqui em Dublin não há CEP. A cidade é dividida pelo rio Liffey, ou seja, a parte norte da cidade possui código postal ímpar (exemplo Dublin 3, Dublin 5 e Dublin 1) e a parte sul tem números pares.

Ps: próxima semana, tem a segunda parte com mais curiosidades!!!  Não percam!!!  😉

Por: Mariana Perez
De: Dublin – Irlanda
Email: mariana@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉