Arquivo | Jogos Vorazes RSS feed for this section

5 livros para ler após sobreviver ao fim do mundo

27 dez
Enquanto algumas famílias compravam casas subterrâneas por US$ 80 mil que resistiriam até a bombas nucleares, nós estávamos aqui esperando o temido Plantão da Globo nos avisar de alguma catástrofe em qualquer parte do planeta no dia 21 de dezembro de 2012. Algum terremoto, o chão se abrindo, ondas gigantescas, alienígenas fazendo uma visita a nós, nevasca em São Paulo ou o Latino voltar ao Youtube.


Bem… Se você está lendo esse post, é porque não esteve (ainda) com o pé na cova!

Logo, não foi desta vez que tudo acabou. E como vitoriosos a mais uma profecia do término dos tempos, aqui vai uma lista de cinco livros inspiradores para ler após “sobreviver” ao fim do mundo.

 

 1) “Eu Sou a Lenda”, Richard Matheson (1954)
Acredito que o primeiro pensamento a rodear nossas mentes ao lermos esse título é… “Will Smith”. Isso porque o cinema já lançou três diferentes adaptações da obra, tamanho foi o sucesso da mesma!
Nova York é o plano de fundo dessa ficção científica que narra a história do único sobrevivente a uma epidemia viral. Todos os humanos afetados pelo vírus se transformam em seres semelhantes a vampiros (vampiros cruéis, longe de se espelharem em Crepúsculo); e, assim, o homem traça a luta pela própria vida para, sozinho, salvar sua espécie.
Confira um trechinho aí de “Eu Sou a Lenda”, que neste ano foi consagrado como O Melhor Romance Sobre Vampiros do Século pela Horror Writers Association:
 “Ele se deitou na cama e respirou a escuridão, torcendo para conseguir dormir. Mas o silêncio não ajudou muito. Ele ainda podia vê-los lá fora, os homens de rosto branco rondando sua casa, incessantemente procurando um jeito de entrar e chegar até ele. Alguns deles, provavelmente, agachados como cães, os olhos vidrados na casa, os dentes se mexendo devagar; indo e vindo, indo e vindo.”
2) “O Último Homem”, Mary Shelley (1826)
Escrito no século XIX, o livro avança no futuro e retrata o ano de 2100 aos olhos da mesma autora de “Frankenstein”.  Filho de uma nobre família que se afundou na pobreza, a trama conta a trajetória de Lionel Verney, o único a sobreviver a uma maldição que, aos poucos, destruiu a humanidade por meio de uma terrível guerra.
A tensão do livro já se inicia na introdução, feita a partir do relato de um autor desconhecido. Este diz respeito a um manuscrito encontrado em uma caverna, que seria escrito por uma sacerdotisa de Apolo, prevendo acontecimentos que destruirão o mundo em dois séculos posteriores (encaixe uma risada maléfica aqui).


3) “Ensaio Sobre a Cegueira”, José Saramago (1995)

Ok, neste livro o mundo não acaba. Famosa obra do querido autor português vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, a narrativa se desenrola quando um motorista parado no sinal vermelho do semáforo percebe-se cego. Isso porque o protagonista fora atingido por uma epidemia de cegueira que transformou a vida de todos em um caos.
Olha aí um pedacinho dessa descoberta que envolve todo o livro:
“Num movimento rápido, o que estava à vista desapareceu atrás dos punhos fechados do homem. (…) Estou cego, estou cego, repetia com desespero enquanto o ajudavam a sair do carro, e as lágrimas, rompendo, tomaram mais brilhantes os olhos que ele dizia estarem mortos.”
4) “O Pequeno Príncipe”, Saint-Exupéry (2006, 48ª edição)
Vamos fugir das epidemias e catástrofes agora. “O Pequeno Príncipe” é um clássico que já ultrapassa a marca de 6 milhões de exemplares vendidos.
O livro conta a história de um príncipe que surgiu do asteróide B612 e é encontrado pelo alter ego do autor da obra. O escritor conta ao pequeno sobre a pane de seu avião que o fez cair em pleno deserto do Saara e, a partir daí, o príncipe pede ao escritor que faça desenhos para ele a fim de demonstrar seu planeta.
Assim, a obra nos faz mergulhar em um mundo imaginário em que refletimos questões da vida real.
Recortei aqui uma famosa frase do livro:
“Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.”
5) “Jogos Vorazes”, Suzanne Collins (2010)
Este é o primeiro livro de uma trilogia que fez tanto sucesso que até estourou em bilheterias pelo mundo com sua versão cinematográfica.
A trama acontece em Panem, uma nação formada por cerca de 12 distritos e comandada pela Capital, sede do governo. Diante ao país carente, a Capital demonstra seu poder com uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão: os chamados Jogos Vorazes. Um casal de adolescentes de cada distrito é selecionado e obrigado a lutar até a morte nestes jogos. O vencedor terá fama e fortuna. Todos os demais, morrem.
Para evitar que sua irmã mais nova seja vítima do cruel programa, a jovem Katniss se oferece em seu lugar. Para ganhar a luta, é preciso mais do que habilidade. O que cada jogador está disposto a fazer para ser o vitorioso? É em busca da resposta que a incrível narrativa se desenrola.

Por: Tatiane Gonsales
De: São Paulo – SP
Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

CINCO LIVROS – O FUTURO E O TOTALITARISMO

24 set

Aqui vai uma lista de 5 livros que tratam sobre sociedades do futuro que são oprimidas por um governo totalitário. Com a exceção de Jogos Vorazes, os livros foram escritos há bastante tempo como uma forma de avisar aos leitores sobre o futuro que os aguarda. Mas, será que esse futuro já chegou?

  • 1984

Escrito por George Orwell em 1949 trata de uma sociedade onde o governo totalitário e opressivo é liderado pelo Grande Irmão (Big Brother em inglês). Winston Smith, funcionário do governo, trabalha com a falsificação e manipulação de informações publicas de forma que o regime do país esteja sempre correto. Desiludido com seu país, seu governo e sua vida miserável, Winston decide se rebelar juntamente a Júlia, com quem mantêm um relacionamento em segredo e O’Brien, membro dopartido que se apresenta ao protagonista como membro de uma resistência. Mas, cuidado! O Grande Irmão está em toda parte e está de olho em você.
“Guerra é paz, liberdade é escravidão, ignorância é força.”
  • ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

Publicado em 1932 e escrito por Aldous Huxley, Admirável Mundo Novo trata de um futuro onde as pessoas são pre-condicionadas biologicamente desde de seu nascimento (tudo isso realizado em gigantescos e modernos laboratórios) para se comportar de acordo com as leis e regras de suas respectivas “castas”. Qualquer dúvida e insegurança por parte dos cidadãos é dissipada por meio do uso de uma droga chamada Soma. Entretanto, Bernard Marx ainda se sente insatisfeito com o mundo onde vive e excluído por ser diferente das pessoas de sua casta. Assim, em uma viagem a uma “reserva indígena” onde as pessoas ainda preservam os costumes do passado, Bernard encontra uma mulher proveniente da civilização que teve um filho de maneira natural, algo totalmente inaceitável para a época. Bernard, dessa forma leva o rapaz para a civilização de forma a conseguir o respeito de seus semelhantes. As ideias e os costumes do “selvagem” acabam criando um fascínio por parte da população e rapaz acaba por se envolver demais nesse novo mundo.
“Posso simpatizar com a dor de uma pessoa, mas não com os seus prazeres. Há algo de rigorosamente monótono na felicidade dos outros.”
  • JOGOS VORAZES

A trilogia criada por Suzanne Collins em 2008 narra a vida de Katniss Everdeen, uma garota de 16 anos,habitante do que antes havia sido a América do Norte, hoje chamada de Panem. O país, destruído e reconstruído várias vezes apos guerras e conflitos é divido em 12 distritos, cada um com uma atividade que contribui economicamente para a Capital. Para evitar rebeliões e manter a população em controle, a Capital promove todos os anos os chamados “Jogos Vorazes” uma espécie de reality show onde jovens de 12 a 18 anos são escolhidos como tributos e devem lutar até a morte em uma arena onde só um poderá ser o vencedor. Fome, violência, opressão e morte. Para o governo, tudo é apenas um jogo.
“Eu continuo apenas pensando em um jeito que eu possa mostrar a Capital que eu não pertenço a eles. Que eu sou mais do que apenas uma peça no jogo deles.”

  • FAHRENHEIT 451

Escrito por Ray Bradbury (que infelizmente faleceu em junho desse ano) Fahrenheit 451 foi publicado primeiramente em 1953. Em um futuro onde todos os livros são estritamente proibidos, o pensamento critico é oprimido, a tecnologia reina e as pessoas são facilmente manipuláveis. Guy Montag, o protagonista, trabalha como bombeiro, queimando livros a temperatura de 451 graus fahrenheit. Montag começa a questionar a situação após a tentativa de suicídio de sua esposa e após roubar um livro da casa de uma velha senhora. A partir dai a curiosidade de Montag sobre os livros torna-se irrefreável, criando conflitos com o chefe dos bombeiros e com sua esposa e o fazendo roubar mais livros até que é traído e tem que fugir. Mas quem abrigaria um ex-bombeiro carregando algo proibido?
“Um livro é como uma arma carregada que está na casa ao lado. Queime-o.”
  • LARANJA MECÂNICA

Mais conhecido pelo filme de Stanley Kubric, Laranja Mecânica é originalmente um livro escrito por Anthony Burgess em 1962. O livro é narrado em primeira pessoa pelo protagonista Alex, um jovem de 14 anos fã de Beethoven e líder uma gangue de delinqüentes responsável por estupros, roubos e violência. Após uma invasão a casa de uma mulher e seu conseqüente assassinato, Alex é preso e passa a ser usado em uma experiência promovida pelo Estado e conhecida pelo nome de método Ludovico. Tal método trata de uma lobotomia onde Alex passa a ter uma aversão mortal a qualquer forma de violência. Alex torna-se uma ferramenta para promover o Estado. A violência sendo combatida pela agressividade totalitária de um governo.
“Mas o não-ser não pode aceitar o mal, quer dizer, os do governo, os juízes e os colégios não podem permitir o mal porque não podem permitir a individualidade.”

Por: Virgínia Fróes
De: Natal – RN
Email: virginia@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉