Arquivo | locomoção RSS feed for this section

Conexão Holanda: Se minha magrela falasse

22 dez

Na Holandinha as magrelas estão por toda parte, eu já sabia, mas não imaginava que era como é. Todo mundo tem uma: as crianças, os adultos, as au pairs, os velhinhos, magrinhos e gordinhos. E têm de todos os modelos: com cadeirinha, com cesta, com bolsas laterais, com caixas para carregar bebes, e algumas pessoas encaram a sua como abadá: super personalizada.– A Holanda é o único país em que o número de bicicletas é maior que o número de habitantes. Nos estacionamentos das estações de trem é possível ver centenas de bicicleta (eu ainda acho que eles compram bicicleta por kg para impressionar turista)

As crianças ganham uma bicicletinha sem pedal já com 2 anos, com 3 elas andam perfeitamente e com uns 5 pedalam sozinhas em sua própria bicicleta. E continuam pedalando quando vão pra a universidade, quando trabalham de terno e quando voltam da balada com micro saia e salto alto.

Eu aprendi a andar de bicicleta bem novinha e achei bem tranquilo. Meu primeiro passeio foi uma longa volta pela cidade, e comecei a aprender as regras, é preciso fazer sinal com o braço indicando onde vai virar, quando escurece (17h00 no inverno) tem que ligar a luz, as bicicletas têm preferência, mas em alguns lugares é preciso atravessar na faixa (os motoristas dos carros sabem do perigo que pode ser se quer encostar-se a um ciclista na rua e sabem o quão grande pode ser a dor de cabeça depois). Meu maior medo foi a primeira vez com o meu mais novo na cadeirinha, o que eu iria dizer aqui em casa se chegasse com o moleque esfolado? Mas me acostumei rapidamente e claro que com ele na bicicleta o cuidado era em dobro. E na hora do rush também e perigoso, bikes por todo o lado.

Andar de bicicleta é fácil, andar com uma criança na garupa e 3 mochilas é fácil, carregar uma bike na garupa de outra bike é fácil, mas meu amigo, quando venta e chove á coisa fica feia viu, um sentimento horrível de frio que causa até dor na testa, mas estamos falando de Holanda né, país conhecido pela chuva, vento e bicicleta, então não tem como fugir muito disso.

Sobre usar luz na bicicleta: LEVE A SÉRIO, eu não levei e dancei bonito. Resolvi ir ao banco, eram 22h00 e o banco ficava a 4 minutos pedalando da minha casa, mas quando virei na primeira esquina um senhor polícia e me mandou parar dizendo que era blitz, perguntou sobre minha luz traseira e eu não tinha, multa na lata, nada mais nada menos do que 51 euros. Depois daí andava sempre com uma lanterninha e durex no bolso, escurecia eu pregava a lanterna no guidão da magrela.

Eu usava minha bike para tudo, já esqueci que fui de bike e voltei pra casa andando, já pedalei de madrugada, já fui para outras cidades pedalando e passei vários momentos inesquecíveis com a Blú (Esqueci de comentar que esse era o nome da minha). Ah se minha magrela falasse….
Estacionamento


Por: Lara Monnerat
De: São Paulo – Brasil
Email: laramonnerat@hotmail.com

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉