Arquivo | Sociedade RSS feed for this section

A Procura da Espiritualidade

6 jul
Não busque a espiritualidade dos empresários do sagrado. 
Ela sofre com os aidéticos e as epidemias. 
Não se engane com a fisionomia alegre dos falsos espirituais. 
Ela não tem teto e vive a procura de um pedaço de terra. 

Não procure nos grandes templos. 
Ela perambula nas cracolândias da vida. 
Não fique decepcionado se não encontrar. 
Ela está nas lágrimas de sangue, suor e dor. 
Não busque este caminho espiritual nas nuvens. 
Ela caminha nos becos, vinhelas e favelas. 


Esqueça a espiritualidade da condenação. 
Ela se faz presente no olhar carinhoso e no aperto de mão
Apague os caminhos espirituais do fanatismo e da discriminação. 
Ela não tem sexo, religião, etnia, classe social ou política. 
Não exija uma experiência extraordinária. 
Ela acontece no ordinário da vida.  

Não pinte o seu rosto ou o seu caminhar. 
Ela vive com os índios, os negros e marginalizados. 
Não busque em livros ou ritos. 
Ela não se deixa aprisionar em teologias ou dogmas. 
Não tente aprisioná-la em crenças ou igrejas. 
Ela ultrapassa os muros da religiosa. 

Não tenha medo de procurá-la nas grandes metrópoles. 
Mas não se esqueça de contemplá-la na zona rural e nas aldeias. 
Veja o brilho dos seus olhos no verde das florestas e nas aves. 
Mas saiba ouvir o seu grito de morte na poluição dos rios.
Não busque uma espiritualidade silenciosa 
Ela grita na vida dos presidiários e drogados.


Não procure a espiritualidade nos templos televisivos. 
Ela caminha com o mendigo no silêncio da noite 
Fuja das promessas espirituais dos marqueteiros da religião
Ela silencia na dor dos índios e na saudade dos migrantes. 

Frei Petrônio de Miranda, Padre Carmelita da Ordem do Carmo, estudante de Jornalismo da Fapcom – Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação. 
– Contatos: Twitter, Site e Facebook
– Escrito no Convento do Carmo, São Paulo, 05 de julho-2012.

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Anúncios

Conveniência Sui"SIDA"

9 jun
Olá você, cidadão de bem, que está sempre com a libido na estratosfera, morrendo de vontade de fazer coisinhas sem se preocupar com consequências, aproveitando ao máximo todo esse vigor físico e virilidade que só nos é propiciado em nossa mais bela juventude.
Você já ouviu a historinha do vírus proveniente dos macacos que causa a síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA, ou AIDS na sigla em inglês)?
Pois bem, reza a lenda que caçadores africanos de macacos africanos (todos eram africanos, ok?) abatiam os macacos com SIV- vírus que causa o HIV -, e por vezes, o sangue do animal entrava em contato com o sangue do caçador.
Esses caçadores vendiam as carnes, e gastavam a grana com putas.
As putas também vendiam a carne (só que não a do macaco hahaha, pfvr achando graça).
Por conta das guerras civis no continente, vários africanos foram se refugiar na Europa.
Logo, europeus também estavam infectados.
Sem contar que a galera comia os macacos caçados com SIV.
       
                                                           (Perguntas Frequentes)
Como assim comia macaco?
Não sei, cara.
Todos os macacos têm SIV?
Não sei, faça o teste.
Porque meu macaco não morre de AIDS?
O Vírus pode ficar alojado de boa no seu amigo primata, temos sistemas imunológicos diferentes.
Se meu sistema imunológico for igual ao do meu macaco?
Temos um problema, entra aqui: http://rge.fmrp.usp.br/
Devo terminar com meu macaco?
Deve.
Como?
Diz que se apaixonou pela irmã dele.
Hoje a AIDS já está espalhada em todo lugar, em todo canto do mundo, e todos sabemos como é fácil contrair doenças venéreas.
                                                             (Perguntas Frequentes)
Como?
Leia nossa coluna sobre sexo, e não use camisinha.
Ao ler a coluna sobre sexo, corro o risco de contrair AIDS?
NÃO, IMBECIL.
Então como?
Tendo relações sexuais com qualquer um, sem proteção.
Posso ter relação sexual sem camisinha com qualquer um?
Não, só com quem você tem certeza que é soronegativo e blogueiros da Friday.
Bobeira a parte, hoje, no mundo, 34 milhões de pessoas vivem com AIDS sendo 5,3 milhões  SÓ na África do Sul (1º lugar no ranking de soropositivos, seguido pela Nigéria e outros países africanos, que tornam o continente o mais afetado pelo HIV).
De qualquer forma, com os avanços da humanidade no que diz respeito à vida eterna, os soropositivos já podem ter uma expectativa de vida bem maior, e quanto antes os tratamentos começarem, melhor a vida que se leva.
Por fim, divirtam-se, namorem, bolinem, comam macacos, façam o que bem entenderem, mas previnam-se, usem aquelas “sacoletas” no “bingulim” e evitem problemas infinitos na sua vida, até por quê não existe só uma DST e talz.
                                                                     (Perguntas Frequentes)
Quais outras existem?
Herpes, sífilis, hepatites, gonorreia, entre outras.
Posso molestar um macaco sul-africano?
VOCÊ AINDA ESTÁ FALANDO DE MACACO?
                                                                         (Curiosidaids)
Homens são a maioria infectados
33 milhões de infectados em 2008
Até 2009 já foram registrados 544 mil casos de AIDS só no BRASIL
60% desses, foram no Sudeste.
Até 2008 já foram registradas 217 mil mortes só no BRASIL
66% dessas, foram no Sudeste.
Brasil é o país com maior sobrevida aos soropositivos J
Sexo não é a única maneira de transmissão, evite seringas, utilização de sangue sem controle de qualidade, doação de sêmen infectado E PRINCIPALMENTE: canibalismo.
É importante ressaltar que o HIV não é transmitido pelo convívio social ou familiar, abraço ou beijo, alimentos, água, picadas de mosquitos ou de outros insetos.
Mais infos:
The Fim
ps: às vezes rola uma má interpretação do texto (ou da minha intenção ao escrevê-lo). Procurei torná-lo informativo sem ser maçante. Se alguém se sentiu ofendido pode me mandar um email que eu procuro adequar o texto, em hipótese alguma foi intencional. Essa é a forma que eu abordo os temas independente de qual seja.

Por: Lucas Vinícius
De: Osasco – SP
Email: lucas@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Hoje a Festa É Na Avenida

22 fev

Olá você, ser humano de bem, suado, com a bexiga apertada, com odor nas axilas, e que está lendo o blog ainda com abadá.
Onde passou seu Carnaval ?! Como passou seu Carnaval?!
Ou ainda (se você estiver em Salvador) como está esse bimestre de CARNAVAL???
Animado heim!?
Pois bem, apesar de ter surgido na Grécia, ter Paris como principal exportadora, e ser uma festa celebrada em vários países do mundo (Japão, Portugal, Reino Unido, Alemanha, Itália,etc.) é no Brasil que o carnaval veio morar. O país é conhecido por proporcionar o mais legal, animado, divertido, bagunceiro, estrondoso, agitado, fedido e desorganizado Carnaval do mundo !
E isso é incontestável, temos o maior carnaval e o maior bloco do mundo (Galo da madrugada – Salvador –BA), somos o país do samba, das mulheres e o 12º mais feliz do mundo (pela revista Forbes). E tudo isso inspira Carnaval =D, muita gente respira carnaval o ano inteiro pra perder o fôlego no sambódromo.
Mas… isso é bom ou ruim ?
Se você for um conservador bem resolvido, óbvio que responderá que é péssima essa depredação da raça humana que se submete às mais desonrosas condições instigando em contrários os mais perversos desejos da carne! UI.
Um religioso fervoroso talvez responderia que essa manifestação do capeta nas ruas precisa acabar.
Um libertino diria que é a época de pegar as “mina tudo”.
Um carnavalesco de berço exaltaria o feriado mais “só alegria” do ano.
O Sérgio Malandro gritaria Yeah Yeah Glu Glu, e eu continuaria sem entender porquê alguém gosta dele!
É tudo questão de um ponto de vista bem definido.
Me parece, as vezes, que se colocar contra a cultura de massa gera num cidadão um peculiar sentimento de superioridade, exclusão do povão, um isolamento que lhe é necessário para sentir-se diferente, junto ao fato de ter lido dois ou três livros no ano passado.
Ao mesmo tempo em que vêm pessoas de todo canto do mundo, de diferentes etnias, crenças, raças e bagagem intelectual, apreciar o que o Carnaval, fruto da mais incrível paradoxo da “genuína miscigenação” cultural brasileira, tem a oferecer.
PORÉM
Tudo que se torna competitivo de mais se submete à aprovação do mal perdedor.
Minha agremiação ganha, eu quebro porque estou feliz.
Minha agremiação perde, eu quebro, eu taco fogo, eu rasgo as notas dos jurados, porque fui CLA RA MEN TE roubado.
O importante é quebrar, pro mundo ver o quão evoluído do macaco eu já sou, e não pararei de quebrar até ser banido de tudo que envolva competição, T-U-D-O, de campanhas eleitorais à disputas Pokémon no Game Boy Color.
Tal descompasso pensante de alguns integrantes de agremiação “X” me parece que destitui o carnaval de festa popular, tornando-o simples competição de valores individuais.
Pooooor isso, acredito que o carnaval livre de competitividade, pura manifestação da alegria de um povo, sem popôs de fora ou xixi no chão, sabe?
Famílias indo às ruas, crianças, adultos e velhinhos sorridentes atrás do trio elétrico… isso é tão… brasileiro, tão nosso, deve ser apreciado… com moderação.
Por fim, nada nunca agradou todo mundo, e assim como a OcktoberFest em Munique- Alemanha;
O festival de música eletrônica Kazantip em Popovka na Ucrânia;
La Tomatina ou a Festa de São Firmino na Espanha
Tanabata no Japão;
Halloween nos EUA;
Saint Patrick’s Day na Irlanda, ou;
Dia Del Grito De La Independencia no México (e em alguns países sul americanos),
é uma manifestação cultural que desagrada muita gente, mas se faz necessária em algum ponto.
Enfim, não importa qual seja sua opinião, ou o quanto você se esforce, você nunca… NUNCA, SERÁ tão divertido como um velhinho europeu dançando shuffle com suspensório.
LIDE COM ISSO.
ps: esse senhores dançam qualquer coisa, experimente tirar o som do vídeo de tocar “Chop Suey” do System of a Down ou Festa no Apê do Latino.

We’re in SOPA – don’t cross – pt I

23 jan

Primeira revolução da geração acomodação.

ADOREI A SOPA.
SOU SUPER A FAVOR DA IDEIA DESTE CONGRESSITA DA FANFARRA.

O Senador Lamar Smith é um puta revolucionário ou foi só cagada mesmo, mas ele causou na sociedade moderna uma das coisas que eu, particularmente, já achava impossível.
Ele conseguiu reacender dentro da maioria dos jovens internautas um espírito de um verdadeiro “comitê revolucionário Ultra-Jovem” que já havia sido extinto há anos.

Isto é, a geração que tinha na acomodação um “dever”, e que pouco fazia para garantir seus direitos e que por tanto tempo se mostrou tão indefesa e alienada, pela primeira vez está fazendo sua opinião valer alguma coisa (mesmo que dentro de casa e através de um computador).

SOPA poderia ser a sigla para Special Operation to Prevaricate the Accommodation
Ou Simple Obliteration of Primary “Anonymous”. (Operação especial para prevaricar a acomodação e Obliteração simples dos primordiais “anonymous”, respectivamente) mas não é o caso.

O projeto de lei conhecido como S.O.P.A. – Stop Online Piracy Act (Fim dos atos de pirataria online – em tradução livre ) – atingiu grande parte dos jovens na maior e mais dolorosa ferida possível… a internet… e isso foi incrível, libertou uma força de “povo oprimido pela ditadura” na galera que começou uma série de protestos around the globe prometendo boicotes à indústria do entretenimento, derrubadas de sites governamentais, e a P0### toda. Falam até na terceira guerra mundial (chega a ser um desrespeito com a história mundial um bando de cadeirudo falando de terceira guerra..mas fazer o que?!).
A população precisava disso, parece que se fez entender que o mundo é bem maior que a sua casa e seus amigos no face, e uma lei ou uma colocação no congresso por sim mudar a rotina de dezenas, centenas, milhares e nesse caso Bilhares de pessoas.
É o fim dos jogos, filmes, pornografia, músicas…o fim da era gratuita camuflada sob o pano do fim da liberdade de expressão. Se aprovada, será indiscutivelmente o maior salto da humanidade.. pena que para trás.

Eu poderia escrever sobre o mundo pós sopa, mas prefiro deixar isso pro futuro (Vai que a lei é aprovada e o mundo vive realmente essa era)…


(Fim da parte I, para não ficar tão extenso, amanhã continua, reticências)

"MANIPOLAZIONE" a bordo

16 jan
Imagine você, todo paquito da vida, menino serelepe de sorriso atrevido, gastando alguns milhares de Euros desvalorizados num PUTA CRUZEIRO FANTÁSTICO na costa italiana, com direito a 4 piscinas, 5 jacuzzis, centro esportivo de mais de 2mil m², academia de ginástica, 5 restaurantes, 13 bares, 1.500 camarotes, suítes com spa, 1 simulador de F1, cinema 4D, cassino, e etc. (sim, tem etc), tudo isso disposto num navio de arquitetura homérica de 35,5 m de largura por 290m de comprimento… e antes que você pudesse desfrutar desse sonho flutuante começasse um realíssimo simulador de Titanic pós primeira guerra e tudo viesse por água a baixo.

PENSA NO DESESPERO, o navio na vertical e você tendo que optar entre sua vida e o simulador de F1 ?!? Injusto não ?

Foi mais ou menos isso que aconteceu nessa sexta feita dia 13/01/12 quando um navio da companhia COSTA CRUZEIRO supostamente chocou-se com uma rocha.

SIM, supostamente.
*Porquê primeiramente, que raio de rocha consegue derrubar um navio de 112 mil toneladas?

*Segundo, que comandante escroto que não enxerga um raio de rocha que consegue derrubar um navio de 112mil toneladas ?

*Terceiro, que empresa que passou um comandante escroto que não enxerga um raio de rocha que consegue derrubar um navio de 112mil toneladas no teste oftalmológico?

*Quarto, que tipo de tripulação sem noção trabalharia na mesma empresa que passou um comandante escroto que não enxerga um raio de rocha que consegue derrubar um navio de 112mil toneladas no teste oftalmológico?

*E por último como que o sindicato dos navios legais autorizou um navio cuja tripulação sem noção que trabalha na mesma empresa que passou um comandante escroto que não enxerga um raio de rocha que consegue derrubar um navio de 112mil toneladas no teste oftalmológico, a navegar por ai de boa?

Estão culpando o comandante por não prestar socorro e talz, mas é obvio que é manipulação da mídia né galera ?


Nem se o Mick Jagger estivesse a bordo desse navio tal proeza aconteceria, a mídia precisa de alguém pra por a culpa e colocam no pobre comandante.
Eles até têm a identidade do verdadeiro culpado, mas por conta do ceticismo das pessoas a verdade é camuflada.
O fato foi que por motivos pessoais somados a falta de apoio do governo a torneios de artes marciais um sayajin enfurecido que não sabe se manifestar passivamente desferiu um golpe em direção a proa, causando assim esse pequeno inconveniente (ima
gem).

Trata-se de Son Goku, guerreiro de extrema esquerda que já participou de outros crimes na condição de cúmplice (vide o vídeo).

Agora que já está mais do que provado o verdadeiro culpado, sinto-me ideologicamente satisfeito e quando souber de maiores informações não deixarei de divulgá-las, pois tenho um compromisso com a verdade que é maior que as repressões da oposição.

Bj.

Começando de baixo

9 jan
Tudo na vida, me parece, é posto por alguma hierarquia. Na sua empresa, ó pobre estagiário, a pirâmide é gigante composta de bloquinhos que precisam ser conquistados pouco-a-pouco, sem frenesi, ao ponto de comemorar até reajuste salarial. A vida é assim, você nasce, cresce, se desenvolve, se reproduz e morre (não tão rápido), nossas necessidades seguem uma hierarquia, na igreja, no exército, na família, enfim, tudo hierarquizado e não podemos pular as fases, é contra a lei do desenvolvimento. Um Charmander nunca será Charizard se não antes for um Charmeleon. 
Mas o quê me intrigou nesse fim de ano (estamos no primeiro post de humor em 2012 \o/) foi observar que a hierarquia é válida também no mundo do crime. Pois é, eu, junto a duas amigas, fui assaltado por um ladrão jovem aprendiz acompanhado de outros 4 estagiários. Estávamos nós atravessando a passarela do Pq. do Ibirapuera (São Paulo – SP), já à noite, quando um grupo de 5 pequenos infratores com alma de Cacique num corpo de Tainá vieram pra cima de nós gritando aqueles clichês aprendidos em filmes nacionais “PERDEU PERDEU, PASSA A BOLSA, A BOLSA, PERDEU, ISSÈUMASSALTO” UOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOU, a adrenalina é muito incrível, nunca antes havia sido assaltado e na hora pensei em correr… pensei só, três passos depois do meu protótipo de fuga eu “repensei”: – putz, num posso correr, estou com as meninas; olhei ao meu redor, ainda na adrenalina do momento, e me deparei com uma pequena gafanhota vindo ao meu encontro gritando algumas palavras inaudíveis, um pouco atrás dela outra garota junto a um meliante sem ação/noção. Segurando uma das minhas amigas estava o jovem aprendiz com o dedo ameaçadoramente apontado na cabeça dela, prontinho para atirar caso ela reagisse e…
… … pera…
DEDO NA CABEÇA
?
WTF BANDIDINHO ?
Você tá me assaltando COM UM DEDO??
AVAPAPUTAQUEPARIU, fiquei bravo, pois todo aquele momento de adrenalina apoteótica caiu por água a baixo na velocidade de uma âncora. Sem mais o que fazer lá, peguei minhas amigas e fui embora. Os estagiários nada fizeram. No final das contas os únicos que levaram algo fomos nós… levamos o susto… mas levamos.

E sinceramente, espero que ele nunca seja efetivado. =/

Tá fácil não.

Eu não acredito no Natal…

23 dez

Eu não acredito no Natal do consumo
Onde as palavras são comidas e repartidas.
Enquanto a presença na família não acontece.
Enquanto os irmãos se odeiam.
Enquanto o divórcio divide.
Enquanto o ódio cresce nos corações.
Enquanto o amor não é amado.
Enquanto o Menino Deus é abandonado.

Eu acredito, sim.
No Natal da solidariedade e do compromisso.
No Natal do perdão e do companheirismo.
No Natal do abraço sincero e amigo.
No Natal do sorriso e da alegria.
No Natal da simplicidade e da cumplicidade.
No Natal do diálogo e das verdades.
No Natal do olhar e do caminhar.

Eu não acredito no Natal dos pisca-piscas.
Enquanto as famílias continuam na escuridão.
Enquanto os jovens vivem a noite escura das drogas.
Enquanto as crianças não têm o pão na mesa.
Enquanto os anciãos são abandonados em abrigos.
Enquanto a natureza é destruída.
Enquanto as águas dos nossos rios são poluídas.
Enquanto vidas são podadas e massacradas.

Eu acredito sim
No Natal que nos faz renascer e crescer.
No Natal que destrói o ódio e a violência.
No Natal que nos valoriza e nos faz crescer.
No Natal que destrói a inveja e a falsidade.
No Natal da democracia e da ética.
No Natal que liberta e nos ajuda a lutar.
No Natal sem meias verdades e sincero.

Eu não acredito no Natal da mesa farta.
Enquanto acumulamos bens e somos corruptos.
Enquanto maltratamos o nosso próximo com palavras.
Enquanto não partilhamos o que Deus nos deu.
Enquanto apoiamos políticos e projetos faraônicos.
Enquanto fechamos os olhos para a fome.
Enquanto fugimos da nossa missão de pais e mães.
Enquanto temos medo de olhar para os crucificados.

Eu acredito, sim.
No Natal ecumênico sem fronteiras.
No Natal sem preconceito e sem cor.
No Natal sem raça e sem brilho.
No Natal sem neve e sem trenó.
No Natal que nos renova e nos faz renascer.
No Natal que reúne a família e nos faz irmãos.
No Natal sem embrulhos e sem disfarces.

Eu não acredito no Natal do Panetone e dos cartões.
Acredito sim, no Natal da partilha e da compaixão.
Eu não acredito no Natal do peru e das bebidas.
Acredito sim, no Natal da solidariedade e dos pobres.
Eu não acredito no Natal da neve ou da roupa fina.
Acredito sim, no Natal dos Pastores e da manjedoura.
Eu não acredito no Natal do Papai Noel.
Acredito sim, no Natal de Maria e de José.
Que este seja de fato e de direito o nosso Natal!

Frei Petrônio de Miranda, Padre Carmelita da Ordem do Carmo, estudante de Jornalismo da Fapcom – Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação. 
– Contatos: TwitterSite e Facebook
– Escrito no Convento do Carmo, São Paulo, 08 de dezembro-2011.