Arquivo | Uncategorized RSS feed for this section

Concurso Nacional de Marchinhas

7 jan

Para quem ama carnaval, tem um evento delicinha amanhã, terça-feira, 08 de janeiro, na Lapa. É o baile carnavalesco ‘Confete e Serpentina’, onde será lançado o CD Melhores Marchinhas do Carnaval 2013, composto por marchinhas dos finalistas do 8º Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas da Fundição Progresso. Foram mais de 2 mil inscritos e apenas 10 selecionados para compor o CD.

Dentre os finalista está o irreverente bloco Sobrinhos do Tio Bio, formado em 2005 por um grupo de amigos de infância. O bloco concorre com a marchinha Macumbeiro Moderno. A composição de Riba e Bocão faz uma divertida relação entre internet e crenças, brincando, também, com as redes sociais.
“Farofa pronta
Pipoca de microondas
Frango da padaria
Tudo sossegado
Baixar o santo agora é por download
Basta estar conectado…”

O vencedor do Concurso Nacional de Marchinhas será escolhido no dia 27 de janeiro, ao vivo no Fantástico, através da votação popular. Se você está no Rio de Janeiro, conheça os 10 finalistas amanhã. A Fundição Progresso fica na Lapa, no Centro do Rio de Janeiro (Estação Cinelândia) e os ingressos custam R$10 (meia e para quem for fantasiado) e R$20 (com direito ao CD).

SERVIÇO

Rua dos Arcos, 24 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20230-060

Telefone: (21) 2220-5070


Por: Gustavo Almeida
De: São Paulo – SP
Email: gu@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Anúncios

O Tripé da Sustentabilidade

10 dez
Sustentabilidade é a palavra do momento. Está em todo lugar. Na mídia, nas escolas e universidades, no governo, nas promessas políticas, enfim, na sociedade de forma geral. Mas o foco total está nas empresas, pois são elas as maiores responsáveis pelas alterações no meio ambiente e por consequência, pelo desequilíbrio ambiental. Como resultado de ações errôneas, temos enchentes, desbarrancamentos, o tão debatido aquecimento global, chuvas ácidas, diversas contaminações, entre outras muitas catástrofes. O desafio da sustentabilidade é justamente fazer com que tenhamos um crescimento urbano, afinal de contas ninguém quer voltar a idade da pedra, o objetivo não é esse, mas que este crescimento seja feito de forma correta, sem que tenhamos que sacrificar os recursos naturais (água, flora, fauna, etc).

A sustentabilidade é formada por um tripé, logicamente seguido de três conceitos básicos, onde cada um desses aspectos deverá estar estritamente ligado e de forma bem definida. São eles: O Ambiental, o social e o econômico.
Sustentabilidade: A união dos aspectos ambientais, sociais e econômicos.
O Meio Ambiente equilibrado, mais do que um conceito é Lei, mantê-lo conservado é obrigação de todos, inclusive e/ou “com certeza” das empresas. Tratamento dos efluentes e resíduos gerados, controle de emissão de gases poluentes, entre outros, são ações necessárias e obrigatórias para qualquer empresa. Agora, uma empresa que deixa de fazer o que somente é exigido (Empresa Reativa) e vai além, buscando novas ideias, contribui de forma significativa com a sustentabilidade. Programas que visam a preservação da flora e fauna, educação ambiental, construção de prédios ecologicamente corretos e despoluição de rios, são exemplos de ações que superam os exigidos e contribuem significativamente com o meio ambiente.

A empresa que visa ser sustentável se preocupa com o Social, seja da comunidade ao seu entorno, seja com os seus colaboradores. Como por exemplo, ações que promovam a educação escolar tanto do profissional, quanto da família deste e ainda da comunidade de abrangência da empresa, programas de educação ambiental e responsabilidade social, incentivo ao esporte, ações que promovam a saúde e o bem estar, bem como, capacitação profissional (o que influência também nos aspectos de segurança no trabalho, já que um profissional instruído é menos suscetível a erros).

O Econômico também entra como um fator chave, já que ele é quem move a sociedade, em uma empresa não é diferente, é ele que irá barrar ou liberar investimentos nos dois aspectos já tratados anteriormente. Agora, se esta organização busca a sustentabilidade, ela irá investir em maquinários novos, o que inicialmente desprende de investimentos, mas retorna como economia, devido ao menor consumo de energia elétrica, por exemplo. A mesma empresa também irá investir em novas tecnologias para tratamentos de seus resíduos e em formas de se reutilizar o que sobra da sua produção e até a água, desde que não seja para o consumo. A questão é que a empresa deve estar aberta a investir para ter retorno posteriormente, bem como, estar aberta a divulgar os valores de seus investimentos, pois isto transmite transparência, e comprova que seu investimento realmente vai para o que se destina.

Com tudo o que foi dito pode-se observar que não são aspectos tão simples de se alcançar, pois envolvem investimentos (as vezes pesados) e mudança de cultura e paradigmas, o que é muito difícil na sociedade, já que em muitas organizações as questões ambientais são vistas como algo que não trazem lucro, somente despesas. É preciso mudarmos primeiramente este pensamento, para que só assim possamos pensar em sustentabilidade e, posteriormente, em desenvolvimento sustentável.

Gostou? Não gostou? Deixe sua opinião! 

Abraços! Até semana que vem!

Por: Marcel da Silva
De: Blumenau-SC
Email: marceljlsilva@hotmail.com

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

MEGALUCE

24 out

Formada pela dupla apaixonada por música Guilherme Duarte (guitarra e vocal) e Vitor Xavier (guitarra solo, baixos e voz), a Megaluce é de Lajes, em Santa Catarina. Tem influências de diversos estilos, mas tem como principal o rock. E sim, eles são uma dupla que se tratam mesmo como uma banda, simplesmente porque estão unidos pelo mesmo ideal: a música.
Quando perguntei a eles como é a recepção do público por serem uma dupla e tudo mais, eles disseram que – “A Megaluce  é cada pessoa que curte as nossas musicas, as melodias, a mensagem. Pode-se dizer que a nossa ‘inovação’ foi algo um pouco forçado devido a liquidez da cena de rock de verdade lageana, é dificil achar musicos que topem viver esse sonho. A gente tinha vontade de gravar músicas que dizem o que a gente pensa e cansou de esperar que uma banda se consolidasse para isso. Resolvemos nós mesmos gravar tudo em estúdio, agora a gente começa a ensaiar um show novo já com bateria e baixo”.
Eles infelizmente tem um grande problema com equipamentos, lugares para gravar e se apresentar lá em Santa Catarina devido a uma divulgação e expansão pequena de cenas independentes no estado, mas ainda assim não desistem. “É matar um leão todo dia, é sair atrás de lugares para ensaiar, equipamento, casas de show… isso é muito fraco aqui, tanto que eu não poderia citar uma grande banda lageana nos ultimos anos, são só pessoas que tem seus empregos e tocam numa garagem nos fins de semana” – diz Guilherme, e ainda completa – “A gente quer muito mudar isso, viver esse sonho, e dividir ele com cada pessoa. Porque acreditamos sinceramente que o dia sempre nasce outra vez sobre todos nós, assim como diz nossa musica de trabalho”.
É bonito de ver a vontade que os meninos teem de levar esse sonho pra frente. Em agosto saiu o primeiro EP deles, já disponível para DOWNLOAD.
A diferença deles é que, hoje em dia, muitas pessoas tem vontade de fazer música, muita gente quer fazer música. Mas eles não só querem como fazem isso na pratica. Afinal, ficar sentado em casa esperando a chance bater na porta é meio vago, né? Parabéns meninos e muito boa sorte!



CONHEÇA A MEGALUCE

SOUNDCLOUD
FACEBOOK

Por: Mayara Munhós
De: São Bernardo do Campo – SP
Email: may.munhos@gmail.com

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Concubina do Demônio

28 set
A bíblia era de longe sua maior amiga, pra não dizer a única… Joana era o estereótipo de uma mulher “carola”: católica fervorosa,  daquelas que decidem ainda criança se entregar para Deus de corpo e alma,  não saía da igreja, nunca teve um namorado, só usava vestidos longos e em cores sóbrias, mal cuidava da aparência (subentenda-se que não se depilava),  resumindo: alguém que tinha decidido morrer virgem.


Já não era mais uma mocinha e já tinha ficando “para a titia” há tempos. Enquanto todas as suas irmãs e primas já tinham se casado ou estavam noivas, ela amargava uma solidão deprimente, ao menos aos olhos de todos que a rodeavam, mas nada disso importava para ela, pois ela já tinha sua salvação garantida e isso a deixava feliz.


Mas será mesmo? Durante todos os dias de sua vida até os 25 anos, Joana nunca tinha tido qualquer tipo de contato sexual, isso além de  na cabeça dela ser “errado”, nunca lhe havia despertado qualquer tipo de interesse ou curiosidade, ela não possuía aparelhos de televisão em casa e evitava até ficar saindo muito na rua, além do caminho para a igreja, querendo evitar a visão de qualquer imagem de promiscuidade, seja a de uma mulher andando “indecentemente” pelo calçadão de biquíni, ou mesmo ver imagem semelhante em um outdoor, para ela o corpo era algo que deveria permanecer puro, isso levava à castidade e a necessidade de esconder seus atributos, este era o pensamento que a moça tinha desde menina e que queria manter até morrer.

Certa noite, no meio da semana, quando voltava de um estudo bíblico, Joana resolveu atravessar pela praça pra chegar mais depressa em casa, para ela a rua era imunda e quanto menos tempo ela ficasse ali, tendo contato com aquele ambiente, melhor. Porém ela nem imaginava que durante o trajeto seria obrigada a se defrontar com uma visão que ela não estava preparada psicologicamente para ver.

Havia um casal, em um banco, se atracando. Obviamente ela já se sentiu ultrajada assim que os viu e notou o que faziam ainda de longe, de primeiro momento pensou em bravejar com os dois, dar um sermão, dizer para os quatro ventos o quanto aqueles jovens imundos precisavam de oração, mas a medida que ela ia se aproximando, sua garganta ia ficando apertada, seu batimento acelerava e ela ia percebendo que eles estavam bem mais “enlouquecidos” do que ela imaginava, eram como animais no cio, o rapaz apertava o seio da garota com força, aquilo não parecia nem perto de normal para Joana, era uma visão agonizante, mas ela não conseguia tirar os olhos dos dois, a medida que ia chegando perto ia ficando cada vez mais aterrorizada com aquilo, mas agora precisava encarar, tinha de passar ao lado deles para terminar o percurso…

Ela tentava desviar o olhar, tentava dizer algo, chamar-lhes a atenção, mas ela nunca tinha visto algo tão libidinosamente demoníaco. Coincidindo com o momento em que ela cruza com os dois, eles chegam no auge da luxuria: a garota começa a alisar o pau do rapaz, e ele em resposta, enfia os dedos dentro de sua calcinha. Aquilo foi demais para a cabeça de Joana! Ela entrou em parafuso, derrubou a bíblia no chão, ameaçou correr, de repente  parou, catou a bíblia tremendo, e suando, apressou o passo para sair da presença daquela cena o mais rápido possível. Ela percebe que os jovens a notaram pelas risadas, nessa hora ela resolve correr, ela sente vergonha, ela quer chegar na segurança de seu lar e fingir que isto não aconteceu.


Ela se tranca em casa, fecha as cortinas, desliga todas as luzes e se isola no seu quarto. Abre a bíblia, acende uma vela e tenta encontrar algo que a console, que sirva de resposta para explicar tamanha perversão. Trêmula, ela foi folheando as páginas e parou em Ezequiel capítulo 23:

Todavia ela multiplicou as suas prostituições, lembrando-se dos dias da sua mocidade, em que se prostituíra na terra do Egito.
E enamorou-se dos seus amantes, cuja carne é como a de jumentos, e cujo fluxo é como o de cavalos.
Assim trouxeste à memória a perversidade da tua mocidade, quando os do Egito apalpavam os teus seios, por causa dos peitos da tua mocidade. 
Ezequiel”
23:19-21

Joana surta! Seus olhos começam a ficar marejados, sua boca seca instantaneamente, ela derruba a bíblia no chão e cobre o rosto com as mãos, ela não acreditava no que tinha acabado de ler. Percebera que aquela coisa repugnante que ela procurou evitar e se distanciar a vida toda estava ALI, nas escrituras sagradas, no lugar onde ela a vida inteira depositou toda a sua confiança., confiança que ela não tinha nem com seus próprios pais.

Ela  estava em estado de choque, era um turbilhão de sentimentos, se sentiu traída, enganada, mas ao mesmo tempo ela tinha a cabeça cheia de dúvidas e começaram a surgir pensamentos que ela nunca pensou que fosse ter:

“e se sexo não fosse tão ruim?”

“aquele casal parecia estar feliz…”

“mas ao mesmo tempo, pareciam estar possuídos”

De repente ela volta à pensar no casal, e fixa sua mente naquilo, a imagem fica repetindo e repetindo a cada vez que ela fecha os seus olhos. Ela começa a sentir algo estranho, todos os pelinhos do seu corpo se arrepiam. Ela começa a lembrar da imagem do rapaz dedilhando a genitália da moça, e inevitavelmente ela se sente tentada a fazer a mesma coisa em si mesma, ela hesita por intermináveis segundos, quando finalmente leva os dedos até a ceroula (não achou que ela usasse calcinha né?) enfiou e acidentalmente tocou em seu clitóris, sentindo imediatamente uma onda de excitação percorrer todo o corpo como se tivesse enfiado o dedo em uma tomada. Ela se assusta,  arranca a mão dali imediatamente, começa a suar frio.

Mas ela GOSTA. Ela enfia a mão ali de novo e começa a se tocar. Ela agora coloca os três dedos dentro da vagina e começa a enfiar e tirar com força, ela sente como se  seu interior fosse explodir de dentro para fora, mas não consegue parar.

Pensamentos de que aquilo é “errado” e de que ela está condenada ao inferno pelo que está fazendo, até passam algumas vezes em sua cabeça, mas perdem completamente a força, ela sente sua genitália ficando molhada, e urra de prazer. Ela goza e entra em estado de êxtase, ficando completamente sem forças. Para sua desgraça ela não percebeu que tinha deixado a vela cair em cima da bíblia quando a derrubou.


Não era só seu corpo que estava ardendo, mas sim a casa toda. Ela se vê cercada de fogo, mas não tem mais forças para levantar, tinha se esgotado e neste momento, ela enxerga uma figura no meio do fogo. Parece um homem, sua reação natural é ficar assustada, mas depois ela resolve gritar por socorro mas sua voz não sai.

O homem vai se aproximando dela e ela horrorizada, percebe que há algo de errado na aparência dele. Percebe que ele está NU e que sua pele é rubra! Em meio as chamas, o homem pega ela pelo braço, joga ela de bruços em uma mesa que já esta começando a pegar fogo e começa a penetrá-la.

Ela sente o membro do homem rubro adentrando-a como uma lâmina fervente de uma espada recém tirada do molde, ela está tão alucinada que não sabe se chora de desespero ou se grita de tesão. Aquilo está acontecendo mesmo? Ela ficou tanto tempo sem experimentar aquilo que finalmente enlouqueceu?

Enquanto ela era currada impiedosamente pela entidade sinistra ali presente, as chamas (se é que existiam) estavam perto de derrubar a casa em cima dela. Joana parecia não mais se importar, sonho, pesadelo, punição vinda do inferno.? Ela tinha conhecido o pecado…E havia gostado…




Por: Blood Mary
De: Inferno
Email: blood_mary@revistafriday.com.br

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Adoráveis vilões

18 set
Olá pessoal, já tinha pensado no tema, tava embaçado escrever, muito calor em SP, mas me inspirei, espero que curtam. Hoje falaremos sobre os caras maus.

 Os vilões costumavam ocupar um papel mais secundário, a tarefa deles era basicamente importunar o herói, valorizando seus feitos, seus méritos, mas como eu já disse em outros papos, chegou um momento em que os escritores preferiram aproximar os heróis da nossa realidade, o Batman passou a ser retratado como um cara perturbado, Tony Stark, o Homem de Ferro teve problemas com alcoolismo, enfim, os aproximaram da realidade, deram uma profundidade para a gente poder se identificar, ou ao menos enxergamos humanidade neles, e nada mais humano do que errar.

Acontece que de certa forma isto foi usado para redefinir também os vilões, depois da década de 70/80 eles deixaram de fazer o tipo “cientista louco querendo dominar o mundo”.

Arranjei uma lista na internet que cita os mais populares vilões de histórias em quadrinhos, independente da ordem, a lista serve para ilustrar nosso papo, vemos entre os primeiros, Magneto, Coringa e Lex Luthor.

Gostei, pois eles pouco tem em comum, comecemos pelo Magneto, nascido na Polônia judaica e vitima do nazismo, sobreviveu aos campos de concentração para iniciar uma vida (clandestina) ao lado se sua esposa na Rússia, infelizmente foi denunciado e perdeu sua filha em um incêndio punitivo proposital, revoltado com a situação, ele manifesta seus poderes magnéticos e mata a vila inteira, por considerá-los culpados e também por se omitirem em defender a criança durante sua ausência. Como conseqüência destes atos, o medo fez com que sua esposa fugisse, e ambos perderam contato, a mulher grávida, viria a dar a luz a gêmeos, um menino e uma menina que Magneto só viria a conhecer quando já estavam adultos. Neste meio tempo, pouco depois ao ocorrido, já estabelecido em Israel, ele viria a conhecer o professor Xavier, fato que resultou numa amizade que lhe agregou muito, inclusive lhe conduziu a um ideal, o de lutar pelos seus semelhantes, da raça mutante. Porém em um dado momento da trajetória deles, ficou ressaltada uma diferente forma de enxergar a situação, enquanto Xavier buscava a coexistência na base da aceitação, Magneto frustrado diante da incapacidade humana em aceita-los decidiu travar uma batalha pelo reconhecimento baseado na força, reunindo muitos interessados em defender sua causa. E novamente presenciaria injustiça, perseguição, genocídios, mas agora, acompanhado de uma pequena legião ele tinha como responder a altura.

E aí, ele é tão vilão assim? Podemos discordar, mas tanta desgraça (mesmo que fictícia) é revoltante não é? Este é o lance com os vilões, de certa forma alguns deles tem um motivo, e podemos flexibilizar nossas convicções a ponto de entendê-los. Quantos de nós teríamos fibra para fazer diferente e não sucumbir?
Magneto por vezes também revelou outras facetas, na ausência de Xavier, ele mesmo, a pedido do amigo ocupou a vaga de responsável pelo instituto que cuida dos jovens mutantes, numa trégua em nome da amizade. Ele também foi governante de Genosha, uma país independente habitado por mutantes, criou uma nação próspera que infelizmente foi vitima de uma catástrofe, que faria novamente Magneto voltar seu ódio contra a humanidade.

Lex Luthor é um cara mais “clássico”, infernizava o Superman com um plano megalomaníaco no bolso, a típica ideia de cientista maluco, foi uma receitinha batida que durou anos, estagnando o personagem, e tornando-o raso e obvio, a sacada para fazê-lo ressurgir foi a de lhe tornar mais contemporâneo, e Lex acabou ganhando um passado muito interessante, no qual ainda jovem, talentoso e com uma inteligência acima da média, armou contra o próprio pai, sabotando os freios de seu veiculo, tudo meticulosamente concebido com o intuito de receber a indenização do seguro de vida.

Com grana em mãos, Lex estudou, se especializou na área de tecnologia e ganhou muito dinheiro, surgia um gênio financeiro que estendeu seus investimentos para construção, exploração de petróleo, saúde, serviços, tornando-se um bilionário com influencia em quase 50% na cidade de Metrópoles. No topo de uma pirâmide onde convenientemente tinha total controle da cidade, seja por influencia, ou por corromper quem se opõe, Lex criou para si uma imagem de bem feitor, um patrono da cidade que ele mesmo sugava clandestinamente, um cara egocêntrico e realizado, até o momento em que Superman surgiu para dividir as atenções dos habitantes da cidade, o que Luthor batalhou para criar conceitualmente era real no Superman, que era como um Deus mitológico caminhando entre os humanos, e desde então Lex focou seu talento em ser ainda mais poderoso, mais influente, queria derrubar Superman, financiando criminosos com poder de dete-lo, pouco se importando com danos colaterais a população, sua determinação para concentrar poder parece ilimitada, Lex chegou (pasmem, mas foi) democraticamente a presidência dos EUA, e fez uso do departamento de defesa para tentar incriminar Superman e Batman, Luthor só perdeu para ele mesmo, por detalhes (incriminadores) que deixou escapar devido a sua obsessão e acabou destituído do cargo. Nos cinemas ele não chegou a ser tão profundo assim, mas na série Smallville ele rouba a cena, e mesmo com pequenas adaptações aqui e ali, temos uma boa amostra do que é Lex Luthor.

 Por fim, o Coringa, inicialmente um ladrão com vocação humorística, ele sempre foi um bom personagem até nas épocas mais puras das HQs, mas a evolução do personagem (anos 80/90) revelaria uma faceta no mínimo perturbadora, a origem dele é incerta, sintetizando tudo que foi revelado nas histórias, podemos dizer ele sofreu um grande revés na vida, e sua psique simplesmente se tornou a mais pura essência do mal, algo abrupto e imprevisível, as atitudes dele não atendem uma necessidade, o Coringa simplesmente acontece, como uma força da natureza, devastador e inevitável, faz o injustificável apenas para mostrar que pode fazer e no fim sorri, satisfeito, independente de ter se safado ou não, sabe que é protegido pela sua comprovada condição de louco, ele não é julgado, apenas retorna ao seu covil no Asilo Arkham para criminosos insanos, onde corrompe as mentes de detentos, psiquiatras, guardas, não para menos, em seu currículo ele reúne os seguintes feitos; matou Jason Todd, o segundo jovem a ser Robin, atirou na coluna de Barbara Gordon, filha do comissário Gordon, e que secretamente foi a primeira Batgirl, já seqüestrou o comissário, já enganou Lex Luthor, é temido entre seus pares, inclusive já cometeu um atentado contra o edifício onde fica a sede do jornal “Planeta Diário”, usando um gás mortal que quase matou Lois Lane, algo que quase fez Superman sucumbir ao desejo de vingança. Seu “carisma” cativou a psiquiatra Harleen Quinzel, que apaixonada, por vezes facilitava as fugas do Coringa, e mais tarde viria a se tornar Arlequina, um misto de capacho e namorada que o acompanhou por muito tempo.

Fora do gibi, o sucesso destes personagens é muito grande também, o Coringa eu diria que foi o maior privilegiado, pois mesmo Cesar Romero sendo mais debochado devido ao teor fanfarrão da série do Batman nos anos 60, o próprio personagem, Coringa, sempre despertou interesse pela sua postura. Algo que seria ressaltado por Jack Nicholson (em Batman – 89), e pela atuação de Ledger (premiada com OSCAR) em Batman – O Cavaleiro das Trevas. Lex também teve grande interpretes, a não tanto tempo assim Gene Hackman (nos filmes com Christopher Reeve), John Shea (da série Lois & Clark), Michael Rosenbaum (o Lex de Smallville) e Kevin Spacey em Superman Returns, eles trouxeram antigas e novas características deste personagem, que quando bem explorado pode render ótimas histórias. O mestre do magnetismo, Erick Lensher, o popular Magneto foi interpretado por Ian McKellen e agora por Michael Fassbander, e ambos são excelentes, só contribuíram para tornar Magneto ainda mais carismático.

Curioso para saber a ordem da listinha top 100 ?
Os primeiros foram estes:
1. Magneto 2. Coringa 3. Dr. Destino 4. Lex Luthor 5. Galactus 6. Darkseid 7. Ra’s Al Ghul 8. Loki 9. Fênix Negra 10. Rei do Crime
Confiram : http://comics.ign.com/top-100-villains/1.html
Abraços, até a próxima !!!

Por: Anselmo Rodrigues
De: São Paulo – SP
Email: anselmo@revistafriday.com.br


Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Samba, Samba, Huaska!

14 set
Lembram daquela banda que eu publiquei aqui no dia 15 de agosto, Huaska? Lembram também que eu disse que eles gravaram um samba com a Elza Soares? ENTÃO! Hoje vim aqui para contar para todo mundo que agora, a banda participou de um samba enredo com ela para a escola de samba carioca Mocidade Independente de Padre Miguel.

O samba enredo está concorrendo para ser o oficial da escola em 2013. Ou seja, se tudo der certo, veremos a Mocidade Independente de Padre Miguel desfilando na avenida misturada com guitarra e tamborim.

Os compositores Ricardo Mendonça, Beto Martins, Bira Fernandes, Rafael Barcelos e Anderson Viana juntaram-se ao vocalista Rafael Moromizato e a banda todinha para compor e gravar o tão falado samba enredo.

A música está disponível no Soundcloud da banda e as disputas começaram em setembro e terminarão em outubro, através de eliminatórias.

Bora ouvir? ALÔ ALÔ COMUNIDADE! Sorte, Huaska!

Samba Enredo Concorrente – Huaska


Por: Mayara Munhós
De: São Bernardo do Campo – SP
Email: may.munhos@gmail.com // 8kproducoes@gmail.com

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉

Jantar Exótico

14 set

“Ela espera ansiosamente pela comida, jovem, doce, inocente…ela merece esse banquete que eu lhe preparei”

Mariana é uma típica adolescente de 16 anos: cabelos loiros tingidos de rosa nas pontas, jeitinho de moleca, uma criança adorável na visão dos pais, mas uma Lolita saborosa na visão de gente maliciosa. Com seu corpo já formado, seios durinhos e empinados, com aquele corpo mais o seu jeitinho inocente, ela poderia facilmente cair nas garras de gente mal intencionada.

Começou como uma conversa normal,  aparentemente outro garoto da escola querendo bater um papo e marcar de “ficar”. Mariana tinha vários amigos virtuais, era impossível para os pais policiar todos, sendo assim ela foi conhecendo aquele novo amigo e ficando cada vez mais íntima.

Não demorou e ele passou a tomar algumas liberdades , começou a perguntar sobre coisas mais íntimas, como se ela ainda era virgem, se ela “se tocava”, Mariana ficava envergonhada,  sabia que aquilo deveria ser errado, mas ao mesmo tempo não conseguia parar de falar com ele. Havia um quê de mistério, de transgressão naquelas conversas, e isso deixava a menina excitada, e tudo isso era novo pra ela. Àquela altura, Mariana  já sabia que a pessoa do outro lado não deveria ser algum coleguinha da escola, mas sim alguém mais velho, ela perguntava a idade real do garoto mas este ficava na defendia e mudava de assunto.

Certo dia, depois de muita insistência, o amigo virtual resolveu fazer um trato com a menina: ele diria sua idade e seu nome, se ela lhe fizesse um favor…ligasse a webcam e se masturbasse para ele. Toda corada e sem jeito, a menina ficou em silêncio por alguns longos segundos e então se levantou, trancou a porta, ligou a webcam, levou seus dedos fininhos para dentro da calcinha e começou a dedilhar. Após alguns minutos de exibição o rapaz resolveu cumprir o trato e revelou sua idade: 25 anos, mas disse que era um garoto por dentro e queria se encontrar com ela o quanto antes.

“Ele não é tão velho assim” pensou Mariana. Claro que seus pais já haviam feito inúmeros sermões a respeito de gente escrota e pedófila que ela deveria evitar na Internet, mas este rapaz não parecia nem de longe lembrar o perfil que  ela tinha na mente a respeito de um pervertido. Imaginava-os uns velhos com mais de 50 anos, gordos, feios. Ela pensou um pouco e aceitou.

Mariana matou  a última aula da sexta-feira e foi para a pracinha se encontrar com ele. Depois de uns 10 minutos ele apareceu, alto, bonito, moreno, realmente aparentava ser jovem, claro que não da idade dela, mas longe de parecer com um velho pedófilo. Os dois conversaram, logo começaram a trocar carícias, não demorou muito e ele já começou a apalpar sua coxa… ela pediu para ele ter calma, demonstrando irritação, ele a largou, suspirou e disse que apenas estava querendo levar a relação para o próximo nível, disse que a achava interessante, que não a via só como uma menininha e que queria namorar sério com ela. Mariana ficou toda derretida mas disse para eles irem devagar, que também estava gostando dele, mas queria que as coisas acontecessem na hora certa.

Balançando a cabeça positivamente, ele disse ter entendido e perguntou se lhe podia pagar um refrigerante,  a garota aceitou. Algumas horas depois Mariana estava nua, amarrada pelos pulsos e tornozelos, amordaçada, dentro de um quarto escuro e úmido. Ela, que havia acabado de acordar, estava sem entender nada,  tentava berrar mas o som não saia. “Tinha alguma coisa naquela coca-cola” ela pensou. A porta se abriu, alguém a pegou pelo braço com força e lhe injetou alguma droga. Horas mais tarde ela estava em uma mesa, desta vez ferida, usando apenas sua calça jeans, com algumas ataduras pelo corpo e de olhos vendados…. ela estava drogada, com a fala embolada, chorando e pedindo para ir embora.

“Calma minha criança… não antes do titio lhe dar comidinha.” Ele rachou alguns comprimidos de ecstasy e forçou-a a tomar. Em poucos minutos ela se esqueceu da dor terrível que sentia e começou a ficar alegre. 

“Titio tem uma surpresinha pra vc”. Ele cozinhou especialmente para você, minha pequena. Você vai adorar!”

Totalmente desorientada e fora da realidade, Mariana pergunta o que era.
“É surpresa…”disse mais uma vez o sádico rapaz, enquanto ia buscar uma bandeja.
Entregando-lhe o garfo e a faca, ele coloca a bandeja na frente dela, tira a tampa e diz:
“Bom Apetite!”

E a garota completamente alienada da realidade, enfia o garfo em um volumoso pedaço de carne, retirando um pedaço ela o devora com o maior prazer, sentindo que aquilo é a melhor coisa que já comeu.

O rapaz registra a garota se deliciando com uma filmadora e começa a se masturbar. Sem perceber, Mariana devora lentamente seus próprios seios, previamente mutilados e cozinhados.

Por: Bloody Mary
De: Inferno
Email: blood_mary@revistafriday.com.br 

Você já curtiu a Revista FRIDAY no Facebook? faça como eles 😉